Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online

O presidente Michel Temer passa a semana na Rússia e na Noruega numa agenda fraca, que pouco vai trazer de produtivo para o Brasil. Trata-se apenas de uma tentativa de mostrar que está tudo bem, que o governo segue trabalhando, quando todo mundo sabe que está tudo ruim e que o governo está parado, dedicando-se a negociar votos na Câmara para tentar salvar Temer da denúncia da Procuradoria Geral da República, que Rodrigo Janot entregará no próximo dia 26. Mas esse não é o único pesadelo presidencial. A delação de Lúcio Funaro e as possíveis delações de Eduardo Cunha e Rodrigo Rocha Loures também tiram o sono de Temer. Qualquer um dos três tem munição para tirar o presidente do Planalto e entregá-lo de bandeja à Justiça da Primeira Instância. E assim segue o Brasil e sua "ponte para o futuro".