Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

A notícia é trágica para os servidores estaduais e para os fornecedores do governo do Rio e seus funcionários. Ainda vai demorar para ser assinado o acordo de recuperação fiscal do Estado do Rio. Ontem, a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi deixou claro que sem teto de gastos não há acordo possível. Ora, isso está na lei aprovada no Congresso. Porém, o incompetente e corrupto governador Pezão insiste que tem pareceres apontando que a Lei de Responsabilidade Fiscal é suficiente para o acordo. A secretária já avisou que não. E para ter teto de gastos é preciso aprovar uma lei na ALERJ. Ou seja, isso não vai se resolver rapidamente.

Quanto aos salários dos servidores, ontem surgiu um alento, mas durou pouco. Foram devolvidos R$ 109 milhões que haviam sido bloqueados pelo Tesouro Nacional, mas que o ministro Luiz Fux determinou que voltassem para os cofres do Estado. O problema é que o Tribunal de Justiça entrou com pedido de novo arresto de R$ 240 milhões porque Pezão não pagou o duodécimo constitucional. E como vem ocorrendo nos últimos meses, o Ministério Público e a Defensoria Pública vão seguir o mesmo caminho. Com isso não há previsão de ser completado o pagamento do salário de abril para 149 mil servidores, que até agora só receberam R$ 1.300.