Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

O presidente Michel Temer tem pressa na votação da Câmara sobre a admissibilidade da denúncia da Procuradoria Geral da República. Ele sabe que corre contra o tempo, afinal a cada perde apoios. Na Comissão de Constituição e Justiça, por exemplo, dos sete deputados do PSDB apenas um deve votar a favor de Temer. Já o PSD, que tem cinco integrantes na comissão, três vão votar com Temer, mas dois são contra. E é assim que o barco de Temer vai perdendo tripulantes. Por isso a defesa de Temer pretende usar apenas 4 das 10 sessões que tem direito para se defender. Tudo para apressar a votação no plenário, que só acontecerá em julho se for suspenso o recesso do Congresso. Se o calendário for mantido a votação só acontecerá em agosto. Até lá o Palácio do Planalto sabe que as chances de Temer são mínimas.