Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja

Impressiona o estilo conspiratório de Michel Temer, com movimentos na escuridão da noite, em porões, encontros secretos, quase um enredo de filme de suspense. É Joesley Batista entrando pela garagem do Palácio do Jaburu tarde da noite, sem se identificar, falando a senha para a segurança, "Rodrigo", numa referência a que era convidado de Rodrigo Rocha Loures, e depois se reunindo com o presidente no porão. São agendas noturnas secretas, que não são registradas, com personagens importantes da República. E agora essa do encontro secreto de Temer com FHC e Tasso Jereissati, em São Paulo. Temer foi para uma suíte do hotel, enquanto FHC e Tasso eram obrigados a entrar pelos fundos, passando pela cozinha, para não serem vistos. Pela trama me lembro mais uma vez que o falecido senador Antônio Carlos Magalhães, dono da Bahia por algumas décadas, disse que Michel Temer parecia "mordomo de filme de terror". Bem, o que Temer está obrigando o Brasil e o povo a passarem por sua resistência no Palácio do Planalto, à base de acordos e decisões nocivas ao interesse público, é mesmo um filme de terror.