Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Vocês lembram que eu avisei que estava para acontecer uma grande operação no Rio de Janeiro, além da Calabar, que prendeu cerca de 70 policiais militares e traficantes, que eu também antecipei. Ontem à noite foi preso no Galeão o empresário Jacob Barata Filho, que embarcava para Portugal só com passagem de ida. Agora pela manhã estão sendo cumpridos mandados de prisão contra os empresários do setor de transportes Jacob Barata, José Carlos Reis Lavouras, Amaury Andrade, Marcelo Traça Gonçalves, o presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Marcos Teixeira, e o ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro (Detro) na gestão de Sérgio Cabral, Rogério Onofre.

A operação de hoje é fruto das delações do ex-presidente do TCE e do doleiro Álvaro Novis. O foco é o esquema nas linhas de ônibus intermunicipais. Conforme já alertei aqui no blog e nos meus programas, na Rádio Tupi e no Facebook, em breve a PF e o MPF irão em cima de algumas dezenas de deputados estaduais, que recebem da "caixinha" da Fetranspor, e que segundo a delação do ex-presidente do TCE, é o presidente da ALERJ, Jorge Picciani quem comanda o esquema de distribuição da propina aos parlamentares.

Aliás, há muito tempo, como mostrarei mais tarde, venho denunciando a máfia dos ônibus no Rio de Janeiro. A investigação que deu origem à operação de hoje mira o esquema intermunicipal, mas certamente vai chegar à cidade do Rio de Janeiro e ao grupo de Eduardo Paes.