Desde a Lava Jato o Brasil descobriu três profissões que viraram das mais promissoras durante muitos anos e que se transformaram dentro da epidemia de corrupção que assola o país.

Doleiro antigamente era a pessoa que trocava dólares por dinheiro nacional. Virou o "profissional" que lava dinheiro das propinas e o remete para exterior.

Operador financeiro eram quem trabalhava na Bolsa de Valores. Virou o intermediário das propinas.

Carregador de malas era apenas quem trabalhava nos hotéis e aeroportos carregando malas de viagem. Virou o "homem da mala" que apanha o dinheiro vivo das propinas.

Agora, embora essas novas versões das profissões não tenham sido extintas, com certeza não são mais tão promissoras, além de que o risco é muito maior.