Rodrigo Maia
Rodrigo Maia

Os bancos e o mercado financeira conversaram com Rodrigo Maia nos últimos dias, através de interlocutores que representam seus interesses. Desde sexta-feira circulam notícias de que ambos, bancos e grandes investidores, estão abençoando o presidente da Câmara para suceder Michel Temer. Os bancos e investidores não estão abandonando Temer preocupados com os desvios éticos da atual mandatário do país, nem pela acusação de corrupção. Longe disso. A mudança de postura é porque se convenceram que tem mais a ganhar com Maia do que com Temer. Maia está ganhando esse apoio importante porque prometeu entregar em troca as reformas que eles tanto querem, que Temer lhes prometeu igualmente, mas não conseguiu cumprir, que massacram trabalhadores e aposentados.

Além disso Rodrigo Maia, conforme eu já antecipei aqui na semana passada, assumindo a Presidência da República, vai cumprir outro compromisso, esse dentro da casa, familiar. Vai manter seu sogro, Moreira Franco, como ministro de alguma pasta, só para manter o foro privilegiado. Essa sorte Eliseu Padilha não terá, afinal não tem Maia como genro.

São esses interesses que Rodrigo Maia representa. Que cada um tire sua própria conclusão sobre o que esperar de Rodrigo Maia como sucessor de Temer.

Mas o jogo democrático prevê a possibilidade dessa substituição. E convenhamos que cada dia a mais de Temer no Palácio do Planalto só faz piorar a situação do país.