Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Esta manhã começaram os debates na Comissão de Constituição e Justiça sobre a denúncia contra Michel Temer. Pelo que ficou acertado em acordo de lideranças os 132 deputados (titulares e suplentes) terão 15 minutos cada para se pronunciar. Além disso outros 40 parlamentares que não integram a CCJ (20 a favor da denúncia e 20 contrários) também falarão, além dos líderes das bancadas. Ou seja, serão pelo menos 40 horas de discussões. Mas o governo quer apressar e acabar com os debates para votar o parecer no plenário da Câmara na sexta-feira, antes do recesso de julho.

Michel Temer está fazendo com que as manobras de Dilma para escapar do impeachment pareçam brincadeira de criança. Dezessete deputados do CCJ já foram trocados pelos líderes dos partidos para facilitar a vida de Temer. Fala-se em liberação de R$ 8 milhões em emendas parlamentares para quem votar contra a denúncia na CCJ. Deputados estão sendo ameaçados. O PMDB decidiu que seus parlamentares que votarem pela aceitação da denúncia serão suspensos de suas funções e podem ser expulsos dos partidos. É um jogo sujo, sujíssimo. Para Temer tentar escapar do processo por corrupção passiva vale tudo, até o impensável.