Fernando Mac dowell
Fernando Mac dowell

PR desfilia vice-prefeito do Rio

Alguns companheiros do PR têm me perguntado se é verdadeira a informação publicada na coluna Informe do Dia, que o diretório estadual do partido decidiu desfiliar o atual vice-prefeito do Rio, Fernando Mac dowell da sigla. Sim, é verdade e os motivos publicados também são verdadeiros. Mac dowell doi uma escolha pessoal de Crivella para a secretaria de Transportes, e não do partido. E a estrutura que comanda a secretaria continua ocupada pelas mesmas pessoas que integravam o governo de Eduardo Paes. Mantemos nosso apoio ao prefeito Crivella, mas queremos deixar público que o senhor Mac dowell não integra mais os quadros do PR.


Avaliação errada de Rodrigo Maia

Pessoas próximas a Rodrigo Maia afirmam que ele quer disputar o Governo do Estado. Por isso não fará força para tirar Michel Temer da presidência. Ao contrário, ele fará tudo para mantê-lo porque espera contar com a retribuição do PMDB do Rio apoiando sua candidatura ao executivo estadual. Isso é que se chama suicídio planejado. Desejar o apoio de Pezão, Michel Temer, Jorge Picciani e Cabral é tomar chumbinho achando que é vitamina.


Max Lemos manda na Câmara de Queimados

O presidente da Câmara Municipal de Queimados, Milton Campos resolveu trocar o procurador da Câmara, José Américo da Silva, no cargo há 20 anos, por Camila Silva de Barros, que no concurso para procurador ficou 197º lugar entre os candidatos. A boca miúda em Queimados todo mundo fala que a imposição foi do ex-prefeito Max Lemos, longa manus de Picciani e manda-chuva da cidade

Ricardo Teixeira
Ricardo Teixeira


Ricardo Teixeira batendo pênalti

Procurado por um amigo para saber sobre sua estratégia para enfrentar o cerco que está se fechando, Ricardo Teixeira foi sintético: “O que eu vou fazer? Delatar a Globo, só isso”. Se terá coragem ou não aí são outros quinhentos. Se vão querer ouvi-lo a história é outra.


Aécio Neves vem aí

Um advogado que leu a delação premiada do publicitário Marcos Valério por inteiro, afirma categoricamente que vai sobrar para muita gente, mas o principal fuzilado é Aécio Neves. E concluiu: “Não sei se ele (Aécio) aguenta. Vem muito chumbo em cima da Andréa (Neves, irmã do senador)”.


Mui amigo

Um deputado federal muito amigo de Pezão, diz ter ouvido dele a seguinte afirmação em Brasília, quando foi chamado esta semana para uma reunião de emergência com promessas de mais ajuda federal: “Se o dinheiro não sair nas próximas duas semanas vou ficar pelo spa mesmo, não tenho mais nada a dizer a ninguém. Renuncio”. O deputado comentou com outro parlamentar que estava ao lado: “Até que não seria uma má ideia”. Será que o deputado é amigo mesmo?


Rei Arthur
Rei Arthur


O castelo ameaçado

Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como Rei Arthur, permanece no Brasil. Indagado sobre permanecer tanto tempo sem voltar a Miami, onde reside há vários anos, ele confidenciou que teme o efeito Jacob Barata e ser preso na hora de embarcar: “Sei lá, podem achar que estou fugindo. Tem gente bem informada afirmando que na próxima semana o “império do rei” vai sofrer forte abalo.


Mal avaliado

Pesquisa de avaliação de governo feita no município de Campos durante esta semana mostra que mais de 80% da população desaprova a gestão do prefeito Rafael Diniz. Os que aprovam são apenas 13%, outros 7% não quiseram opinar. Tamanho é o desgaste do prefeito que corre o risco de haver festa quando for anunciada sua cassação pela Justiça Eleitoral da cidade, o que deve ocorrer nas próximas semanas.


O "pato", símbolo da luta contra o aumento de impostos, de volta ao prédio da FIESP
O "pato", símbolo da luta contra o aumento de impostos, de volta ao prédio da FIESP


A volta do “pato”

A mais fiel aliada de Michel Temer, a FIESP vai protestar contra o aumento da alíquota do PIS e CONFIS, incidente sobre os combustíveis. Além de trazer de volta o “pato” para Avenida Paulista, em frente à sua sede, ficou acertado que os postos de gasolina em todo o Brasil vão colocar faixas pretas nas bombas de gasolina, sinalizando luto pelo aumento de impostos.