Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

O presidente Michel Temer está jogando para a galera. Sabe que já, já vai explodir no seu colo a segunda denúncia da Procuradoria Geral da República. Juridicamente os argumentos da defesa de Temer não fazem sentido. Os advogados do presidente acusam Rodrigo Janot de “obsessiva conduta persecutória”, dizem que o procurador age por "motivação pessoal". Ora, mas e as gravações, a mala de dinheiro? Temer age para construir um discurso, que não vai convencer a opinião pública, mas servirá para os deputados usarem na hora de protegê-lo pela segunda vez, como espera o Palácio do Planalto. Ninguém acredita em sã consciência que o STF, diante de todos os fatos, aceite os argumentos e declare a suspeição de Janot.