Reprodução da Época
Reprodução da Época

Tenho falado aqui de algumas delações premiadas com potencial bombástico. Bem, até 17 de setembro, último dia de Rodrigo Janot como Procurador Geral da República, a única delação com chance de homologação é a do doleiro Lúcio Funaro, que vai complicar ainda mais da vida de Michel Temer e dos caciques do PMDB nacional.

As delações de Sérgio Cabral, Eduardo Cunha e Fernando Cavendish estão em compasso de espera.

Já a delação de Antonio Palocci "subiu no telhado". Palocci quer falar sobre os esquemas envolvendo a Globo, bancos e grandes empresários, mas o MPF parece que não tem interesse nesses temas. Por que será?