Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

Há alguns anos que venho dizendo que as UPPs se transformaram no antigos DPOs (Destacamento de Policiamento Ostensivo) dos anos 1980 / 1990. Em sete regiões os soldados das UPPs para entrarem nas respectivas comunidades pela manhã, ao chegarem para o plantão, precisam aguardar no asfalto a ordem do tráfico para subirem, ou seja, pedem autorização ao "patrão" da favela para trabalhar, e ai de que não sigam o que determinam os bandidos. Então na prática as UPPs já acabaram, só existem no nome. Não é como diz o ex-coordenador das UPPs, coronel Robson Rodrigues.

O aproveitamento dos policiais das UPPs no policiamento das ruas, no asfalto, como se diz popularmente, é o que venho defendendo há mais de dois anos. Não faz o menor sentido assistir a escalada da violência, que se agravou nos últimos dois anos por conta da crise financeira e não utilizar o reforço do pessoal das UPPs, que na prática finge que dá segurança às comunidades. Pelo menos nas ruas podem evitar assaltos e outros crimes.

E posso lhes assegurar que é mentira que esses 3 mil soldados que vão sair das UPPs trabalham em serviços administrativos. Essa justificativa falsa é apenas para fingir que o projeto continua, aí concordo com o coronel Robson Rodrigues, para não assumir que as UPPs chegaram ao fim.