Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online

O presidente da ALERJ, Jorge Picciani está retornando hoje ao trabalho depois da inatividade por conta do tratamento do câncer. Voltou garantindo que ele e Eduardo Paes já acertaram a candidatura do segundo ao Governo do Estado em 2018. Mas por enquanto é só conversa mole. Para começar Eduardo Paes ainda terá que enfrentar a Lava Jato, além do que já veio à tona, muita coisa será revelada, a começar pela delação do publicitário Renato Pereira, da Prole, que fez suas campanhas e a de Pedro Paulo. Além disso, caso insista em sair candidato a governador, Paes tem dito a pessoas próximas que o PMDB está "queimado" no Rio e negocia na surdina outro partido. Além disso existem outras questões a serem resolvidas, como a operação com Rodrigo Maia e o DEM, que pretendem lançar Cesar Maia ao governo com o apoio do PMDB. E para completar nem Picciani confia em Eduardo Paes, assim como a recíproca é verdadeira. Então está cedo para definir alguma coisa. Por enquanto é balão de ensaio, até porque pelo calendário eleitoral pode haver mudanças de partido até o dia 2 de abril, não é mais um ano antes, como aconteceu em eleições anteriores. A única coisa certa é que o PMDB pode escolher o candidato que quiser, mas não vai arrumar nada no Rio. Acabou!