Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

As delação do doleiro Lúcio Funaro só confirmou o que já se sabia no meio político, que deputados receberam dinheiro para para votar pelo impeachment de Dilma, tudo capitaneado por Eduardo Cunha, que pediu o dinheiro à JBS e outros empresários. Se alguém tinha dúvida, não tem mais. Foi um "golpe parlamentar". Pode até ter havido a pedalada fiscal, mas não foi por isso que a Presidente Dilma foi apeada do poder. Temer, Eduardo Cunha, o PMDB e o PSDB, entre outros, conspiraram e compraram o impeachment.

Engraçado que Temer hoje fala em "conspiração" e "golpe" para derrubá-lo. Bem, é uma questão de interpretação, para a maioria dos brasileiros, e as pesquisas mostram isso, Temer está envolvido em corrupção e deveria ser afastado. Mas ainda que fosse golpe, Temer estaria apenas recebendo o troco pelo que articulou.

O PT vai usar a delação para tentar a anulação do impeachment no STF. Aí já é outra história. Duvido que a ação tenha sucesso, o Supremo não vai querer criar uma nova crise institucional.