Na semana passada o "acordão da vergonha", como chamou a Veja, salvou Aécio Neves no Senado. Esta semana será a vez da Câmara salvar Michel Temer, claro, com a ajuda do PSDB. Assim como Temer ligou pessoalmente para políticos pedindo ajuda para Aécio, agora é o senador mineiro que trabalha para arrumar votos para o presidente, afinal uma mão lava a outra. Será mais uma vergonha.

Não é à toa que pesquisa do instituto Ipsos revela que, embora 93% dos brasileiros achem que a Lava Jato deve ir até o fim, doa a quem doer, 40% já sentem no ar o cheiro de pizza.