Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder

Depois de ver vários personagens da Lava Jato serem soltos, Eduardo Cunha torce para chegar a sua vez de conseguir habeas corpus. A segunda turma do STF adiou para a próxima semana o julgamento do habeas corpus de Cunha. A segunda turma é composta pelos ministros Edson Fachin (presidente), Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e o decano Celso de Mello.

Só que existe um problema. Cunha tem contra si outra prisão preventiva, decretada por Sérgio Moro, no caso da delação da JBS. Portanto na hipótese de conseguir o habeas corpus, Eduardo continuará preso, pelo menos até conseguir um eventual segundo habeas corpus específico para o processo relativo à JBS.