Regis Fichtner (primeiro da direita nas duas fotos) com Sérgio Cabral e Wilson Carlos (ex-secretário de Governo de Cabral, também preso em Benfica) numa farra da Gangue dos Guardanapos em Paris; ao lado com o empreiteiro Fernando Cavendish (ao centro) e o deputado Júlio Lopes na noite de Paris
Regis Fichtner (primeiro da direita nas duas fotos) com Sérgio Cabral e Wilson Carlos (ex-secretário de Governo de Cabral, também preso em Benfica) numa farra da Gangue dos Guardanapos em Paris; ao lado com o empreiteiro Fernando Cavendish (ao centro) e o deputado Júlio Lopes na noite de Paris

Não estava dos planos de Regis Fichtner, ex-secretário da Casa Civil de Sérgio Cabral, a transferência do ex-governador para fora do Rio de Janeiro. Ele não tem dormido nos últimos dias. Cabral disse a Sérgio Côrtes na prisão quando tomou ciência que será levado para Mato Grosso do Sul: “Chega! O compromisso com Regis era me manter no Rio. Agora chegou a vez dele. Não vou segurar mais nada”.