Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

O Procurador Geral do Estado, Leonardo Espíndola foi exonerado sumariamente ontem por Pezão por ter se recusado a defender o governador na ação que corre no Tribunal de Justiça contra a indicação de Edson Albertassi ao Tribunal de Contas do Estado. De repente, no meio da tarde de hoje, decidiu rever a exoneração e anunciar que vai "acatar qualquer decisão que ele tomar".

Alguém pode se apressar a concluir que foi por causa da Operação Cadeia Velha, que pode ter sido chamado à razão. Ledo engano. Se fosse assim Pezão não anunciaria que manterá a indicação de Albertassi para o TCE. Pezão está é com medo de Leonardo Espíndola que antes de assumir a Procuradoria Geral do Estado, em novembro do ano passado, foi secretário da poderosa Casa Civil. Espíndola assumiu em março de 2014 quando Cabral deixou o governo para Pezão e ficou no cargo até ir para a PGE. Sabe muito dos negócios feitos pelo governo Pezão. Por isso o governador está com medo e voltou atrás. Agora se o procurador vai aceitar continuar no cargo é outra história. Se tiver brios não continua, afinal foi enxovalhado publicamente pelo governador.