O bilhete acima, entregue por um detento no presídio de Benfica, pode ser esclarecedor sobre os mistérios que cercam a agressão sofrida por Garotinho. Sem nenhuma explicação Garotinho foi transferido da galeria A, na unidade de Benfica, onde estavam outras 40 pessoas, para a galeria B, que nem sequer estava em funcionamento, teve que ser lavada às pressas, e um colchão foi colocado em um beliche onde não havia uma pessoa sequer além dele. Na noite do mesmo dia, um homem de cabelos claros, olhos castanhos, aparentando 35 anos, tendo aproximadamente mais de 1,70m, por volta 1h30, entrou na galeria e em seguida na cela, e disse ao ex-governador: “Desce daí” (ele estava na parte de cima do beliche). Em seguida o homem vestindo blusa azul clara, calça jeans e sapato preto disse: “Você gosta muito de falar, né?”, e em seguida desferiu uma violenta paulada na rótula da perna direita, logo abaixo do joelho, conforme podem ver na foto abaixo. Logo depois vendo que Garotinho havia se curvado diante da intensa dor, o homem meteu a mão na cintura e puxou uma pistola prateada que encostou próximo ao rosto dele e disse: “Você não vai morrer hoje para não sujar para pessoal aqui do lado”, apontando na direção da galeria C, onde estão os presos da Lava Jato, incluindo Sérgio Cabral, que foram denunciados por Garotinho. Em seguida o homem completou: “Mas vou deixar uma lembrancinha pra você”, e aproveitando que Garotinho estava descalço pisou com o salto do sapato esmagando os dedos do pé direito, cuja radiografia acusou fissura óssea entre o segundo e o terceiro dedo, causando um hematoma de grande proporções, como mostra a foto abaixo.



Em seguida o mesmo homem saiu da cela fechando o cadeado enquanto Garotinho gritava de dor por mais de 20 minutos sem que aparecesse um agente ou inspetor penitenciário. Foi então que ele colocou a mão para fora das grades e começou a bater palmas para chamar a atenção. Os inspetores penitenciários chegaram e não acreditaram no que viram. Mas algumas perguntas estão até agora sem resposta.

1 – O retrato falado que começou a ser feito e faltava apenas a descrição do nariz foi interrompido. Somente ontem, mais de 30 dias depois, foi marcado para ser concluído no próximo dia 4 de janeiro. Por que será?

2 – O laudo da perícia técnica para saber se houve manipulação ou edição das imagens das câmeras até hoje não foi apresentado. Por que será?

3 – A Secretaria de Administração Penitenciária só iniciou o procedimento para apurar os fatos no dia da saída de Garotinho da unidade Petrolino de Oliveira, em Bangu. Por que será?

A verdade é que o bilhete cuja grafia agora será examinada pela polícia foi entregue por Garotinho a seu advogado Carlos Azeredo, que o apresentou à polícia. O bilhete, como viram acima, é claro. Quem pediu para Garotinho ser espancado foi Sérgio Cabral. Aliás, conforme ameaça feita há algum tempo atrás, e comunicada a Garotinho, que pediu proteção policial ao governador Pezão, que nada fez.

E agora?