Reprodução do Estadão online
Reprodução do Estadão online

É "comovente" a preocupação social de Pezão a esta altura do campeonato, só após o decreto de intervenção federal na segurança pública, faltando 10 meses para terminar seu mandato. A gente só não ri porque é uma situação trágica.

A quadrilha do PMDB, liderada por Sérgio Cabral, do qual foi vice-governador e secretário de Obras, área onde a roubalheira aconteceu em ritmo alucinante, destruiu o nosso estado. Ele e Cabral acabaram com todos os programas sociais, inclusive os que atendiam os jovens e lhes permitia se inserir no mercado de trabalho.

O Estado do Rio é onde há mais desempregados em números absolutos, comparando com as demais unidades da federação.

A violência afasta investimentos e empresas estão fechando ou transferindo suas unidades de produção para outros estados e agora ele dá uma de bonzinho e cobra do governo federal a criação de empregos.

Deveria era ficar calado e fazer um mea culpa, mas do alto de seu cinismo fala como se não tivesse culpa pela situação que hoje vivemos no Rio de Janeiro.