O MDB comanda a máquina federal, tem 6 governadores e 4 prefeitos de capitais. Por isso quer lançar um candidato para defender o que chama de "legado de Temer", além de garantir ao atual presidente da República foro privilegiado. Pode ser um ministério ou uma embaixada na Europa. Mas os três principais planos vão muito mal.

Temer, a primeira opção, tem 4% de aprovação.

O Plano B é o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

O Plano C é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

E o Plano D é Geraldo Alckmin que aparece com 20% de aprovação e 68% de desaprovação.

Tá feia a coisa para o MDB!