Reprodução da Veja
Reprodução da Veja

É preciso ser realista, e não tenho dúvida que Lula e o comando do PT estão conscientes da gravidade da situação. O recurso (embargos declaratórios) apresentado ao TRF-4 não tem poder de mudar a condenação de Lula. É uma etapa jurídica que visa o questionamento de argumentos, não da decisão propriamente dita. Logo a condenação não será reformada pelo TRF-4. O que está em jogo é a prisão ou não em segunda instância. Foi sobre isso que o STJ se debruçou na sessão de hoje, e disse que Lula pode sim ser preso após a confirmação da decisão do Tribunal Regional Federal.

Logo resta a Lula o STF. Pode ser um habeas corpus preventivo, o que acho difícil, ou então a ministra Cármen Lúcia levar ao plenário novamente a questão da prisão em segunda instância. É uma incógnita qual será a posição da presidente da STF, se coloca ou não a questão na pauta do tribunal.

Mas reitero aqui o que já afirmei em diversas ocasiões. Nesse processo do triplex do Guarujá não consigo vislumbrar provas que justifiquem a condenação de Lula.