Desde que tomei a iniciativa de incluir o nome de um poderoso da Justiça do Rio na denúncia feita à Procuradoria Geral da República em Brasília, eu e minha família, além do meu grupo político, passamos a sofrer todo tipo de ameaças, processos, chantagens, a fim de impedir que ele ao menos seja investigado.

Covardia após covardia, humilhação a mim, a meus familiares e amigos. Mentiras que viraram provas para transformar um denunciante em denunciado.

Tentam me destruir politicamente, financeiramente e até pessoalmente.

Pense você:
Tudo que alertei sobre o governo CABRAL era mentira ou verdade?
Sobre a riqueza da família Picciane?
Sobre o enriquecimento ilícito de Sérgio Côrtes?
Paulo Melo?
O poderoso Rei Artur e seus negócios com a "guangue dos guardanapo"?
Fernando Cavendish?
Eduardo Cunha?

Já ultrapassa 40 o número de processados, condenados, presos, investigados que foram denunciados na notícia-crime que fiz ao Procurador Geral da República.

Tudo rigorosamente verdadeiro.

Mas ainda faltam muitos que se juntaram para me calar, me aniquilar, me condenar e me colocar numa cela de um presídio, para que desista da missão de ajudar a salvar nosso ESTADO.

Está sendo doloroso, sofrido.

Muitos se afastaram por medo.Outros por covardia.

Afinal de contas, juízes, delegados federais, promotores tem o poder de destruir vidas e fechar portas.

As operações chequinho e caixa d'água são farsas montadas para me destruir politicamente e provarei isso.
Sou um inocente covardemente perseguido.

A partir de segunda-feira vou mostrar aqui no blog, no Facebook e pelo Whatsapp, decisões judiciais absurdas, cerceamento de defesa, juízes parciais, provas ilícitas plantadas nos processos, depoimentos de pessoas humildes que assinaram um papel sem saber o que estava escrito.

Tudo feito para proteger alguém quem tem medo de ser investigado.

Nada temo, pois nada fiz de errado ou fora da lei.

Meu crime é acreditar que a justiça vale para todos.

Acompanhe e divulgue os fatos.

O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA JÁ ESTÁ CIENTE DOS ACONTECIMENTOS.

ANTHONY GAROTINHO