Reprodução de O Tempo, de Belo Horizonte
Reprodução de O Tempo, de Belo Horizonte

O MBL (Movimento Brasil Livre) foi um dos grupos que surgiu nas redes sociais, encabeçando o movimento pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff na internet. Seus líderes se diziam contra a corrupção, apregoavam uma nova maneira de fazer política, apesar do MBL ter recebido dinheiro do PMDB, PSDB e DEM, além de andarem posando para fotos com Eduardo Cunha, então presidente da Câmara dos Deputados. Na eleição municipal de 2016, uma das principais lideranças do MBL, Fernando Holliday, elegeu-se vereador em S. Paulo pelo DEM. Agora outro líder do movimento, Kim Kataguiri, será candidato a deputado federal pelo mesmo DEM. Nova política? Só se, para ficar apenas em dois exemplos, o senador ruralista Ronaldo Caiado (GO) e o líder da bancada da bala, deputado Alberto Fraga (DF), que defende os interesses dos fabricantes de armas, são representantes da nova política.