O juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, Rafael Estrela Nóbrega, indeferiu nesta terça-feira o pedido feito pela defesa do ex-governador Sérgio Cabral de transferência para a cadeia de Benfica.

Os argumentos utilizados pela defesa foram de que houve tratamento discriminatório com Cabral em relação aos demais presos da Lava Jato e de ameaça à integridade física por suposta retaliação de detentos milicianos e ex-policiais que foram punidos durante o mandato do ex-governador.

Porém, segundo inspeção realizada pelo Setor de Fiscalização da Vep, Cabral está em cela individual, isolado dos demais reclusos e com banho de sol em horário diferenciado. Também foi verificado que há apenas um ex-PM entre os detentos, que não convive com o ex-governador, e que a unidade reunia presos classificados como idosos, cadeirantes ou portadores de nível superior, não havendo, portanto, indício de risco à integridade física, moral ou psicológica do interno.

A cadeia de Benfica havia sido reformada pelo governo do estado para receber os presos da Operação Lava Jato. Quando estava preso na unidade, Cabral chegou a receber regalias como visitas fora de hora e banhos de sol prolongados, além de poder usufruir de camarões, bolinhos de bacalhau e queijos.