No ano passado recebi áudio de um agente penitenciário me alertando que o ex governador Sergio Cabral, ainda aquela época preso em Benfica, vinha dando declarações que desejava me ver morto. Meu advogado protocolou no gabinete Civil do Palácio Guanabara pedido de proteção policial. Fizemos notícia do fato ao Procurador Geral do Ministério Público e, ingressamos na Justiça Estadual(Vara de Fazenda Pública) onde a juíza, diante da gravidade dos fatos, informou que encaminharia o caso ao novo Interventor da Segurança Pública do Estado. Tudo até agora sem solução.

Poucos dias antes de ser transferido para Curitiba o ex-governador Sérgio Cabral contactou um preso do mesmo estabelecimento prisional, onde se encontrava, oferecendo 10 milhões de reais para que eu fosse "eliminado", morto.

O fato foi comunicado pelo advogado do preso ao meu advogado, Dr. Carlos Azeredo, que comunicou o fato a membros do Ministério Público Estadual que teve confirmação da oferta do ex-governador Sérgio Cabral ao preso para me "eliminar" por vingança das denúncias que fiz contra ele e grande parte da sua quadrilha, hoje denunciada, condenada e presa pela Justiça Federal.

Desde que comecei as denúncias da roubalheira no Estado do Rio venho sofrendo todo tipo de humilhações que um ser humano pode passar. Fui 3 vezes preso injustamente. Fui torturado no mesmo local onde se encontrava parte da "Gangue dos Guardanapos" e minha defesa tem se tornado um calvário devido a aliados de Sérgio Cabral no judiciário do Rio de Janeiro. Tudo que estou dizendo aqui pode ser comprovado por documentos, testemunhas e os próprios fatos que falam por si próprios. Não fossem as instâncias superiores da justiça brasileira eu estaria refém dos bandidos que denunciei e que tem braços longos em outros poderes do nosso Estado.

Neste momento lanço um grito por justiça, pela minha vida e de minha família ou será necessário mais um cadáver para que algumas autoridades tomem providências?

Obs: nos últimos 4 dias tive que suspender minha agenda devido a uma forte indisposição, mas daqui a pouquinho, estaremos juntos no programa na Rádio Tupi.

 ANTHONY GAROTINHO