Dois funcionários da Hoya Corretora, do operador Álvaro José Novis, confirmaram nesta segunda-feira, em depoimento ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), que faziam entregas de dinheiro em espécie a Andréa Cardoso do Nascimento, chefe de gabinete do ex-presidente da ALERJ, Paulo Mello, e Jorge Luiz Ribeiro, apontado como braço-direito do presidente afastado da Alerj.

O tribunal começou a ouvir as testemunhas arroladas pelo Ministério Público Federal na Operação Cadeia Velha, em que Picciani e os deputados Paulo Mello e Edson Albertassi, são acusados de receber propina de empresários do setor de transportes.

Carlos Alberto Vital da Silva, funcionário da Hoya, disse que as entregas ao braço-direito de Picciani eram feitas até três vezes em uma única semana. Ele confirmou que os valores variavam entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. Algumas vezes, chegava a R$ 400 mil.