O juiz Sergio Moro encaminhou ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, pedido para que seja autorizada a perícia no celular de Eduardo Cunha.

O objetivo da perícia é verificar a autenticidade de mensagens encontradas no celular de Cunha. Entre os registros extraídos do aparelho, estão conversas entre o ex-deputado e o ex-presidente de Fundos da Caixa Econômica, Fabio Cleto, que tratam do esquema de desvio de R$ 30 milhões do FGTS.

Segundo o Ministério Público Federal, Cunha usava o aparelho para operar esquemas de propina entre aliados.