Ministro Luís Roberto Barroso, durante sessão da Primeira Turma do STF - O Globo
Ministro Luís Roberto Barroso, durante sessão da Primeira Turma do STF - O Globo

O ministro Luís Roberto Barroso acolheu pedido da PGR e autorizou a inclusão da delação de Lúcio Funaro, operador financeiro do MDB, no inquérito dos portos.

A investigação apura se Michel Temer beneficiou empresas do setor portuário. Em sua delação, Funaro falou da aprovação, em 2013, de uma medida provisória que beneficiou o grupo Libra, no Porto de Santos por meio de alteração no projeto da medida feita pelo então líder do MDB, Eduardo Cunha.

Ainda segundo o delator, em 2014, o sócio do mesmo grupo teria doado R$ 500 mil ao diretório nacional do PMDB, à época comandado por Michel Temer. Posteriormente, uma das autorizações dadas pela MP foi anulada pelo TCU, que a considerou irregular.