O juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, da 14° Vara Federal de Natal, revogou a prisão domiciliar do ex-ministro Henrique Eduardo Alves.

Ex-ministro nos governos Dilma e Temer, Henrique Eduardo Alves se beneficiou indiretamente de uma decisão de junho, dada pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federa, que determinou a soltura do deputado cassado Eduardo Cunha por excesso de prazo na prisão. Ele permanece preso, no entanto, por conta de outros mandados. A defesa de Henrique Alves conseguiu uma extensão daquela decisão.

Henrique Alves estava preso na Academia de Polícia Militar desde o dia 6 de junho de 2017 por conta de dois mandados de prisão preventiva - um expedido pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte e outro pela Operação Sépsis, que corre na 10ª Vara Criminal do Distrito Federal.

No Rio Grande do Norte, o ex-ministro do governo Temer foi alvo da Operação Manus, que investiga o pagamento de propina relaciona a construção da Arena das Dunas. Em Brasília, o peemedebista é réu e foi preso em um desdobramento da Operação Sépsis por supostamente receber valores de empresas que receberam aportes milionários do FI-FGTS.