O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, prorrogou por 60 dias o inquérito que investiga irregularidades no setor portuário e que tem o presidente Michel Temer como principal alvo. A decisão atendeu a um pedido apresentado pela Polícia Federal e reforçado pela Procuradoria-Geral da República.

Esta é a terceira vez em que o ministro dá mais tempo à conclusão da apuração, sempre pelo mesmo período. O inquérito investiga se Temer beneficiou empresas com o Decreto dos Portos, editado em 2017, em troca de propina.