A Receita Federal pediu ao juiz Marcelo Bretas que autorize o compartilhamento de documentos apreendidos na sede da Fecomércio, no Rio, pela Operação Jabuti.

Assinado pelo supervisor da força-tarefa da Receita na Lava-Jato, Marco Aurélio Silva Canal, o documento solicita que a PF envie todos as provas de pagamento feitos pela entidade ao escritório de advocacia da ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo.

Desencadeada em fevereiro, a operação teve como alvo o ex-presidente da entidade, Orlando Diniz.

Entre os desvios investigados está a contratação de funcionários fantasmas pelo Sesc e pelo Senac. Eles estavam alocados no Palácio Guanabara, sede do governo estadual.

Reprodução: Revista VEJA

Comentários