O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO e a PCERJ, através da CORREGEDORIA GERAL DE POLÍCIA CIVIL- CGPOL, deflagraram na data de hoje (11.09.2020) a 2a fase da OPERAÇÃO CATARATA, visando o combate à corrupção no Município do RJ e no Estado do RJ, por fatos ocorridos no período compreendido entre os anos de 2013 e de 2018. As investigações foram conduzidas pelo promotor Cláudio Callo.

A operação consiste no cumprimento de 05 mandados judiciais de prisão preventiva e 06 mandados judiciais de busca e apreensão nos bairros de Copacabana, Recreio dos Bandeirantes e Barra da Tijuca. Os mandados prisionais foram expedidos em desfavor do empresário FLAVIO SALOMÃO CHADUD e de seu pai, o delegado da PCERJ MARIO JAMIL CHADUD, do ex-deputado estadual PEDRO FERNANDES, da ex-vereadora e ex- deputada federal CRISTIANE BRASIL e do ex-diretor de administração financeira (DAF) da Fundação Leão XIII, JOÃO MARCOS BORGES MATTOS.

A 26a Vara Criminal da Capital do Rio de Janeiro recebeu a denúncia (ação penal) do MPRJ instaurando processo criminal em face de 25 acusados, dentre os réus figuram os 05 presos, os ex-presidentes da FLXIII SERGIO “FERNANDES” e ERIKA YUKIKO MURAOKA, MARCUS VINICIUS AZEVEDO DA SILVA, sócio da RIO MIX 10, servidores públicos e representantes de empresas e Organizações Sociais-OS.

Os denunciados são acusados de crimes de organização criminosa, fraudes licitatórias, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais, além do crime de embaraçar investigação de organização criminosa.

As investigações tiveram início no ano de 2019, na Controladoria Geral do Estado-CGE, que detectou a ocorrência de fraudes em 04 Pregões Eletrônicos, ocorridos nos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018 na Fundação Estadual Leão XIII, vencidos fraudulentamente pela SERVLOG RIO para execução do projeto.

Comentários