Logo depois do massacre de Realengo, todos nós assistimos o prefeito Eduardo Paes anunciar que alunos e seus familiares, professores e funcionários da escola teriam todo o apoio e acompanhamento psicológico. Pois, não é, que mesmo diante daquela barbárie, com todos os traumas inimagináveis aquelas crianças, adolescentes e adultos, todos foram abandonados pela prefeitura do Rio? O apoio psicológico não passa de uma mentira, que vergonhosamente, mais uma vez, a imprensa do Rio abafa. Leiam a matéria do Estado de S.Paulo, publicada na sexta-feira e vocês vão ficar estarrecidos. Olha prefeito, francamente, me faltam palavras para definir essa sua atitude covarde diante da tragédia que marcou o Brasil.


Reprodução do jornal Estado de S.Paulo
Reprodução do jornal Estado de S.Paulo


Comentários