Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder



Desde ontem circulam rumores em Brasília sobre os possíveis pedidos de demissão do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha e do secretário-executivo, com status de ministro, Moreira Franco, citados na delação da Odebrecht. Padilha garantiu que não vai "deixar Temer na mão", e Moreira Franco desmentiu a informação de que já teria até escrito a carta de demissão. Mas a situação de ambos é delicada e nas bolsas de apostas políticas é dado como certo que é questão de tempo para ambos terem que deixar o governo. Ontem quem pediu demissão foi o amigo e fiel escudeiro de Temer, José Yunes, que ocupava o cargo de assessor especial da Presidência, que segundo a delação da Odebrecht, teria recebido dinheiro em nome do presidente. A situação é delicada. Quem será o próximo a cair?