Visitantes online: 1091
logo topo

sábado, 23 de junho de 2018

23/06/2018

16:14

Temer vai desembolsar até 190 000 para remover a gordura do Planalto





Reprodução da coluna Radar - Veja

23/06/2018

16:01

Palocci continuará preso após delação homologada

Quem acompanhou o processo adianta que Antonio Palocci não fez a “delação do fim do mundo”. Motivo: nos acordos fechados com a PF, os benefícios só são concedidos depois de comprovadas as informações. O que o obriga a contar apenas o que pode realmente provar.

Dessa forma, Palocci não será solto até que a PF comprove as informações que delatou e que só agora, com a homologação, serão investigadas.

Nas delações do MPF, o delator recebe o benefício de antemão. A PF acha que seu modelo é mais eficaz. “Se eu pagar antes, o pedreiro não termina a obra”, diz um delegado.

Fonte: Coluna da Andreza Matais - Estadão

23/06/2018

12:04

Com mais 25 policiais, PF faz esforço para finalizar inquérito que investiga Temer

A Polícia Federal está realizando um último esforço para finalizar o inquérito dos portos, que envolve o presidente Michel Temer, aliados dele e empresas do setor portuário. Entre os policiais estão “alguns ligados à área de crimes cibernéticos e de inteligência, além de três peritos, e o serviço de perícia de informática do Instituto Nacional de Criminalística”.

O inquérito apura se a Rodrimar, que opera no porto de Santos, foi beneficiada pelo decreto assinado por Michel Temer em maio de 2017, que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos.

Além do presidente, são investigados Rodrigo Rocha Loures, Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita.

22/06/2018

16:56

Fachin arquiva citação a Temer em documentos de Ciro Nogueira

O ministro Edson Fachin arquivou uma investigação sobre um manuscrito encontrado no gabinete de Ciro Nogueira, no fim de abril, que citava o presidente Michel Temer.

O senador é investigado por suposto envolvimento na compra de silêncio de uma testemunha, seu ex-assessor Jose Expedito Almeida. No documento encontrado pela Polícia Federal no gabiente de Nogueira, estava escrito: “Fundo 1.000 Imp 200 RT 200 2 Temer 300 300”.

Ao arquivar a investigação, Fachin acolheu pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Em seu despacho ele diz que, se novas provas surgirem, nada impede que a investigação seja retomada.

22/06/2018

14:34

Que timaço!

Reprodução do Informe do Dia
Reprodução do Informe do Dia

.

22/06/2018

12:18

Temer e Aécio se reúnem e querem anular provas da delação da JBS

Alvos da delação da JBS, o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves querem usar o indiciamento pela Polícia Federal do ex-procurador Marcelo Muller para contestar o acordo firmado pelo executivo da empresa, Joesley Batista, e o ex-executivo Francisco de Assis.

De acordo com a investigação, Marcelo Miller ajudou os executivos da J&F (da qual a JBS faz parte). Mas não interferiu na produção de provas, nem orientou Joesley Batista durante as gravações espontâneas realizadas antes da autorização judicial para execução de ações controladas.

Segundo publicação do G1, Temer e Aécio discutiram o assunto na noite passada. Eles se reuniram, fora da agenda oficial, na noite da quinta, na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Também passou por lá o ministro Moreira Franco.

A linha deles é a de que o indiciamento reforça a ideia de que Muller fez jogo duplo durante a negociação da delação da JBS. Portanto, querem anular as provas do acordo. Cabe ao ministro Fachin a decisão final sobre a rescisão do acordo.

Nesta sexta-feira, Temer vai a São Paulo conversar com o seu advogado Antonio Claudio Mariz sobre as investigações que o miram.

O presidente é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal.

22/06/2018

08:35

Após ser fechado por Pezão, restaurante popular é saqueado

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

21/06/2018

12:13

Coaf vê indícios de lavagem de dinheiro em movimentações financeiras de Romário

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, encontrou indícios de lavagem de dinheiro em operações bancárias envolvendo o senador Romário (Podemos-RJ), pré-candidato ao governo do Rio. Um relatório, do dia 2 de maio, indica que ele administra uma conta em nome da irmã, Zoraidi de Souza Faria, com o “intuito de ocultar” a sua própria movimentação financeira. O senador tem uma procuração, entregue por Zoraidi, que dá a ele poderes específicos sobre recursos depositados no Banco do Brasil. Segundo o Coaf, o fluxo financeiro da conta é “incompatível com a capacidade financeira” da irmã de Romário.

A conta de Zoraidi foi aberta em uma agência no Congresso Nacional, em Brasília, onde Romário exerce mandato parlamentar desde 2011 — primeiro na Câmara e depois no Senado. Já a sua irmã vive em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Com rendimento anual declarado de apenas R$ 8 mil, Zoraidi recebeu na sua conta, segundo o Coaf, R$ 8 milhões, entre agosto de 2016 e abril de 2017. Já as saídas da mesma conta totalizaram R$ 7,5 milhões no mesmo período.

Fonte: O Globo

21/06/2018

10:07

Câmeras de vigilância espalhadas pelo Rio ficam uma semana sem mandar imagens

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

21/06/2018

08:01

STJ limita o foro de governadores a crimes cometidos no mandato

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, nesta quarta-feira, restringir sua competência para julgar casos relativos a governadores, desembargadores e outras autoridades, conforme previsto na Constituição.

Com a decisão do tribunal, governadores e membros de tribunais de contas dos estados vão continuar respondendo a processos no STJ somente se o crimes que lhe são imputados ocorreram quando estavam no cargo ou relacionados com o mandato. Caso contrário, as acusações serão enviadas para a primeira instância da Justiça.

A medida foi tomada a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, no mês passado, restringiu o foro por prorrogativa de função, conhecido como foro privilegiado, para deputados e senadores.

20/06/2018

14:11

Ministra Rosa Weber é eleita nova presidente do Tribunal Superior Eleitoral

Eleita nesta terça-feira por seis votos a um, em votação secreta, Rosa Weber substituirá o ministro Luiz Fux no comando da Corte, a partir de 14 de agosto. O ministro Luís Roberto Barroso foi eleito vice-presidente.

Rosa Weber é ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) e permanecerá no cargo até 25 de maio de 2020.

20/06/2018

12:02

Eduardo Paes presta depoimento como testemunha de Sérgio Cabral

O ex-prefeito depôs como testemunha de defesa do ex-governador Sérgio Cabral na ação penal que apura o pagamento de propina a membros do Comitê Olímpico Brasileiro (COI) para a escolha da cidade como sede dos Jogos.

Ao final, o ex-prefeito foi inquirido pelo juiz Marcelo Bretas se teria recebido alguma ajuda das empreiteiras que atuaram nas obras olímpicas, no Brasil ou no exterior. Paes negou que tivesse havido recebimento de ajuda das empresas no exterior, mas disse que precisaria checar suas contas de campanha para saber se houve alguma doação eleitoral.

Eduardo Paes foi mencionado no acordo de delação premiada de executivos da Odebrecht, que afirmaram ter repassado recursos de caixa dois para a campanha eleitoral do ex-prefeito.

O marqueteiro das campanhas de Paes, Renato Pereira, também contou em delação preimada que a campanha para a reeleição de Eduardo Paes à Prefeitura do Rio, em 2012, teve caixa 2.

Renato Pereira disse que foi avisado pelo próprio Paes que seria procurado por Leandro Azevedo, executivo da construtora Odebrecht. A campanha teria custado R$ 20 milhões, valor negociado, segundo o marqueteiro, por Eduardo Paes e Pedro Paulo Carvalho, então deputado federal.

20/06/2018

08:36

Barroso inclui delação de Funaro no inquérito dos portos

Ministro Luís Roberto Barroso, durante sessão da Primeira Turma do STF - O Globo
Ministro Luís Roberto Barroso, durante sessão da Primeira Turma do STF - O Globo

O ministro Luís Roberto Barroso acolheu pedido da PGR e autorizou a inclusão da delação de Lúcio Funaro, operador financeiro do MDB, no inquérito dos portos.

A investigação apura se Michel Temer beneficiou empresas do setor portuário. Em sua delação, Funaro falou da aprovação, em 2013, de uma medida provisória que beneficiou o grupo Libra, no Porto de Santos por meio de alteração no projeto da medida feita pelo então líder do MDB, Eduardo Cunha.

Ainda segundo o delator, em 2014, o sócio do mesmo grupo teria doado R$ 500 mil ao diretório nacional do PMDB, à época comandado por Michel Temer. Posteriormente, uma das autorizações dadas pela MP foi anulada pelo TCU, que a considerou irregular.

19/06/2018

16:06

Ex-prefeito de Cabo Frio é condenado pela 20ª Câmara Cível do Rio

A 20ª Câmara Cível do Rio condenou o ex-prefeito de Cabo Frio, Marquinhos Mendes, por improbidade administrativa por utilização de verba pública para a publicação de matéria em revista sem licitação e para se promover. O relator do acórdão é o desembargador Alcides da Fonseca Neto. Com a condenação confirmada em segunda instância, o ex-prefeito de Cabo Frio fica enquadrado na lei da ficha limpa e não pode se candidatar a carga eletivo, explica o advogado Manoel Peixinho.

Fonte: Blog do Ancelmo Gois

19/06/2018

13:56

PGR pede prorrogação de inquéritos sobre Aécio Neves no STF

A Procuradoria-Geral da República pediu prorrogação de 60 dias em dois inquéritos contra o senador Aécio Neves que tramitam no Supremo Tribunal Federal, abertos a partir da delação de ex-executivos da Odebrecht. As solicitações por mais tempo para as investigações, relatadas pelos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, foram feitas pela Polícia Federal e tiveram a concordância da procuradoria. Agora cabe aos relatores decidir sobre os pedidos.

Sob relatoria de Gilmar, um dos inquéritos apura o pagamento de vantagens indevidas “prometidas e/ou efetuadas” pela empreiteira em 2014 a pedido de Aécio, em favor do próprio parlamentar e de aliados políticos. Nele, o senador é investigado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

No outro inquérito, em que é relator o ministro Lewandowski, o tucano é investigado junto do senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), do deputado federal Dimas Fabiano (PP-MG) e do ex-ministro Pimenta da Veiga. A investigação apura suposto repasse de R$ 6 milhões em vantagens indevidas da empreiteira, também em 2014.

No total, Aécio é alvo de sete investigações no STF e de uma ação penal, em que é réu pelo suposto recebimento de R$2 milhões de Joesley Batista, do Grupo J&F, acusado ainda de atrapalhar as investigações em torno da Operação Lava Jato.

19/06/2018

10:44

Rodrigo Maia comprará 2 800 xícaras de porcelana

Reprodução do blog Radar - Veja
Reprodução do blog Radar - Veja

.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 ProximoUltimo