Visitantes online: 1399
logo topo

quarta-feira, 26 de julho de 2017

13/07/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Quinta, 13/07/2017)

13/07/2017

09:25

Fala Garotinho (Quinta - 13/07/2017)

13/07/2017

08:16

A reação do PT à condenação de Lula

Ato pró-Lula na Avenida Paulista
Ato pró-Lula na Avenida Paulista

Os petistas vão marcar atos nas principais capitais de solidariedade e apoio a Lula. Ontem se reuniram na Avenida Paulista para protestar contra a condenação do ex-presidente. Hoje Lula vai se pronunciar e dará o tom do discurso petista. É claro que a aposta será na vitimização, na perseguição política. Como a condenação em primeira instância não torna Lula inelegível, o plano do PT para 2018 continua sendo a candidatura dele à Presidência. Mas é claro que a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro vai afetar o desempenho de Lula nas próximas pesquisas presidenciais.

12/07/2017

18:44

Rodrigo Maia e a benção da Globo

Reprodução do blog de Reinaldo Azevedo
Reprodução do blog de Reinaldo Azevedo

Não é novidade que a Globo defende a saída de Michel Temer, claro, por interesses privados, nada a ver com o fato de ser o melhor para o país, última das prioridades do grupo da família Marinho. Mas merece destaque o fato de Rodrigo Maia ter almoçado no domingo na casa do vice-presidente de Relações Institucionais da Globo, Paulo Tonet, e após, passar a dizer em conversas com aliados que Temer acabou, e hoje O Globo ter publicado editorial onde diz, embora com palavras mais educadas que o estilo Capitão Nascimento, de Tropa de Elite: "Temer, pede pra sair!". Acertaram os ponteiros.

Aí alguém mais afoito pode dizer: "Se Rodrigo Maia tem o apoio da Globo então não é melhor deixar o Temer?". Não é por aí. A Globo sempre está ao lado de quem assume o poder, depois, dependendo das circunstâncias pode até mudar de lado, mas enquanto lhe for útil sempre apoiará o presidente de plantão. Foi assim também com Lula e Dilma quando eles estavam em alta.

12/07/2017

17:05

O muro da hipocrisia do PSDB

O PSDB está em cima do muro da hipocrisia. FHC e Tasso Jereissati, presidente interino do partido, tomam posições públicas contrárias a Temer, dizem que o governo acabou, mas não têm coragem de dizer a frase-senha: "O PSDB tem que deixar o governo Temer". Os tucanos estão como diz o ditado "acendendo uma vela para Deus e outra para o diabo". Algumas lideranças tucanas falam em permanecer para garantir as reformas. Aliás, um que vai por essa linha é Geraldo Alckmin que prefere Temer enfraquecido do que um novo presidente que dispute com chances uma reeleição em 2018. Ficam fazendo reuniões onde não decidem nada. Está ficando cada vez mais claro que não querem é perder os cargos e os quatro ministérios que têm.

12/07/2017

15:58

Campos: Não podia ser diferente

Rafael Diniz, atual prefeito de Campos
Rafael Diniz, atual prefeito de Campos

Em março alertei a população de Campos sobre o risco da postura adotada pelo prefeito Rafael Diniz de não pagar as parcelas da cessão de crédito firmada entre a prefeitura de Campos e a Caixa Econômica Federal. Avisei que tudo havia sido feito de forma legal, mas, o prefeito preferiu gastar R$80 milhões sem licitação e manter o seu discurso de campanha.

Alertei que esse erro de não pagar compromissos assumidos com instituições financeiras poderia levar o funcionalismo de Campos a viver dias semelhantes ao sofrimento dos funcionários do estado. A irresponsabilidade de Rafael é idêntica a de Pezão, com um agravante, o prefeito de Campos recebeu a prefeitura com os salários em dia e uma situação financeira equilibrada, muito melhor do que a que Cabral entregou a Pezão.

Agora com a decisão do Superior Tribunal de Justiça que a prefeitura terá que pagar as parcelas que desde janeiro o prefeito resolveu por conta própria gastar em obras e serviços não licitados, além de uma sensível piora nos serviços prestados, os funcionários correm sério risco de ficarem sem salário.

O que ocorre em Campos é a mesma fórmula do estado. Incompetência + corrupção = falência administrativa e moral.

A aliança político-midiática–judicial que resolveu colocar um prefeito inexperiente, elitista, à frente do município vai ter seríssimos problemas. Na campanha foi fácil enganar o povo, mas agora diante do buraco fiscal que ficará pela irresponsabilidade de ter que pagar juros daquilo que já devia ter sido pago vai ser um “salve-se quem puder”.

Quem vai acreditar que um município que contrata R$ 5 milhões em geradores pra show está sem dinheiro?

Quem vai acreditar que um prefeito que nomeia mais de 100 parentes de vereadores com salários médio de R$ 5 mil está vivendo dificuldades?


Neste grupo, os poucos que têm alguma ideologia na cabeça, são liberais e defendem posições políticas bastante atrasadas, inclusive, em relação aos mais pobres, como visto recentemente com os programas sociais.

A mentira chegou ao fim. Uma parte do grupo, o setor midiático-judicial afirmava que foram distribuídos milhares de cheques cidadão para vencer a eleição a qualquer custo. O outro setor deste grupo, o político, dizia que Rosinha estava vendendo o futuro para o próximo prefeito que viesse.

Uma coisa não combina com a outra. É como se estivéssemos preparando uma desgraça para ser administrada por nós mesmos. Isso é história que não convence ao cidadão mais simples. É como se quiséssemos vencer a eleição para administrar os problemas que nós mesmos criamos.

Isso não é lógico. Não faz o menor sentido. Somente na cabeça de pessoas inexperientes que vão trazer à cidade um grande sofrimento.

Nós avisamos! Enganaram ao povo, não a nós. Com essa gente não podia ser diferente.

12/07/2017

14:32

A condenação de Lula no caso do tríplex

Reprodução do Zero Hora
Reprodução do Zero Hora

O juiz Sérgio Moro bateu o martelo e condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Sou adversário político de Lula, fui perseguido sem tréguas por ele, mas já afirmei aqui no blog várias vezes, que não vi no processo nenhuma prova de que o tríplex pertencesse a Lula. Sempre disse que achava que em outros processos, como no caso das palestras, será difícil ele escapar, mas no caso do tríplex não vi provas, documentos, somente indícios. E no Estado Democrático de Direito indícios não são suficientes para condenar, somente provas. Não estou aqui de maneira nenhuma defendendo Lula, mas no Brasil existe hoje uma tendência das pessoas esquecerem esse princípio do Direito quando não gostam do acusado. Eu não sou assim.

Obviamente haverá recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região. A decisão de Moro não tira Lula da disputa eleitoral de 2018 porque não foi tomada por um colegiado. Vamos ver qual vai ser a reação do PT e dos movimentos sociais que apoiam Lula.

E a condenação de Lula deve estar sendo comemorada no Palácio do Planalto. Não podia ter vindo num momento melhor para colocar uma cortina de fumaça nas manobras escusas, por baixo dos panos, para salvar Temer.

12/07/2017

13:50

Vale tudo para Temer se safar na Câmara dos Deputados

Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Esta manhã começaram os debates na Comissão de Constituição e Justiça sobre a denúncia contra Michel Temer. Pelo que ficou acertado em acordo de lideranças os 132 deputados (titulares e suplentes) terão 15 minutos cada para se pronunciar. Além disso outros 40 parlamentares que não integram a CCJ (20 a favor da denúncia e 20 contrários) também falarão, além dos líderes das bancadas. Ou seja, serão pelo menos 40 horas de discussões. Mas o governo quer apressar e acabar com os debates para votar o parecer no plenário da Câmara na sexta-feira, antes do recesso de julho.

Michel Temer está fazendo com que as manobras de Dilma para escapar do impeachment pareçam brincadeira de criança. Dezessete deputados do CCJ já foram trocados pelos líderes dos partidos para facilitar a vida de Temer. Fala-se em liberação de R$ 8 milhões em emendas parlamentares para quem votar contra a denúncia na CCJ. Deputados estão sendo ameaçados. O PMDB decidiu que seus parlamentares que votarem pela aceitação da denúncia serão suspensos de suas funções e podem ser expulsos dos partidos. É um jogo sujo, sujíssimo. Para Temer tentar escapar do processo por corrupção passiva vale tudo, até o impensável.

12/07/2017

11:58

Encontro Marcado com Garotinho (Quarta - 12/07)

12/07/2017

09:28

Fala Garotinho - 12 de Julho de 2017

12/07/2017

08:06

Senado rasga CLT: mudam mais de 100 direitos dos trabalhadores

Plenário do Senado
Plenário do Senado

O Senado aprovou o maior massacre dos trabalhadores brasileiros desde que Getúlio Vargas criou a CLT em 1943. O presidente Michel Temer está comemorando e dizendo que foi uma "vitória do Brasil". Não foi vitória nem dele nem do Brasil. Foi a vitória dos senadores-empresários que votaram pensando no próprio bolso, em como lucrar mais nas suas empresas. Foram 50 votos a 26. E as centrais sindicais roeram a corda, pararam de lutar contra a reforma trabalhista em troca da promessa de uma medida provisória de Michel Temer para manter o imposto sindical. Hoje é um dia muito triste para os trabalhadores brasileiros, que retornam a um regime de quase escravidão. Vergonhoso!

11/07/2017

19:45

O piquenique da oposição

Da esquerda para a direita, senadoras Regina Souza (PT-PI), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
Da esquerda para a direita, senadoras Regina Souza (PT-PI), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

Pode se questionar a opção das senadoras da oposição ao ocuparem a Mesa do Senado, mas, para mim, muito mais grave é o atropelo comandado pelo presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), com o apoio dos senadores governistas, para aprovar correndo a reforma trabalhista, atendendo aos interesses dos grandes empresários e massacrando os trabalhadores. Aliás, os senadores governistas consideraram a atitude de suas colegas como "quase um crime contra a democracia", mas impedir lideranças sindicais, como o presidente da CUT, Vágner Freitas de assistirem a votação e negar a entrada do povo nas galerias seria o quê?

O pior foi alguns senadores bajuladores do governo defenderem que as senadoras sejam levadas ao Conselho de Ética e punidas por quebra do decoro. Que moral esse conselho tem para falar em quebra de decoro depois de arquivar o pedido de cassação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), e não foi por ter feito um piquenique no Senado, mas sim por pedir propina de R$ 2 milhões a Joesley Batista. É muita hipocrisia!

11/07/2017

18:01

Temer desrespeita a nossa inteligência

Essa declaração de Michel Temer, hoje pela manhã, que vai respeitar a decisão da Câmara "qualquer que seja o resultado da votação" é mais uma para rir. Em primeiro lugar Temer está desrespeitando a Câmara dos Deputados ao ameaçar líderes de partidos a trocarem integrantes da Comissão de Constituição e Justiça. E depois é "chover no molhado". O que restaria a Temer a não ser respeitar a decisão da Câmara. A única alternativa de não respeitar a decisão da Câmara seria fechar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, ou seja, dar um golpe de estado. Ora, como isso nem se cogita, Temer mal se aguenta em pé, logo sua declaração é mais um blá blá blá.

11/07/2017

16:48

Pizza tucana

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin foi o anfitrião da reunião das lideranças do PSDB, ontem à noite, no Palácio dos Bandeirantes. O cardápio era pizza. O convidado de honra foi Aécio Neves. Depois de quatro horas debatendo entre fatias de pizza o resultado foi igual: pizza. Os tucanos não decidiram nada. Continuam em dúvida se saem ou ficam no governo Temer. A decisão ficou mais uma vez para depois e os deputados federais foram liberados para votar a favor ou contra a denúncia de Temer.

11/07/2017

15:10

Garotinho comanda reunião do PR-RJ de organização para as eleições de 2018

A reunião geral do PR-RJ, nesta segunda-feira, lotou o auditório Álvaro Valle, na sede do partido no Centro do Rio de Janeiro. Compareceram prefeitos, vereadores, deputados, integrantes de diretórios municipais e estadual, além do vice-prefeito do Rio e secretário municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell, e do presidente do diretório estadual do partido, o ex-governador Anthony Garotinho.

Na abertura da assembleia geral, Garotinho fez duras críticas ao governo Cabral e lembrou a aliança nefasta, no passado, entre o peemedebista e o ex-presidente Lula. “O estado foi assaltado. Quem denunciou isso foi o PT? Não. Eu falava: Cabral vai ser preso. E as pessoas diziam: Garotinho enlouqueceu. No entanto, tudo que eu mostrava veio à tona”. Garotinho disse também que ainda espera a prisão de muita gente no estado, como, por exemplo, a do ex-prefeito Eduardo Paes.

Em seu discurso, o presidente estadual do PR falou ainda da necessidade de o partido começar a se organizar para as eleições do ano que vem. Nesse sentido, ele cobrou fidelidade aos correligionários. “Quantos deputados federais elegemos em 2014? Oito. E quantos ficaram no PR? Precisamos fazer a escolha certa de quem vai disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio e na Câmara dos Vereadores, para impedir que pessoas se utilizem do partido e depois façam seus acordos”, criticou o ex-governador.

Garotinho também deu o pontapé inicial para uma reformulação nos diretórios municipais: “Temos que compor nossos diretórios; não dá para ficar com esses diretórios de papel”.

Garotinho fez ainda duras críticas aos integrantes do partido que ficam com um pé no PR e o outro em siglas como o PMDB. “Não dá para ter um pé lá e outra cá”, finalizou.

11/07/2017

13:41

Sessão de votação da reforma trabalhista é suspensa depois que senadoras tomaram a mesa

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

As senadoras de oposição ocuparam a Mesa do Senado num protesto pela falta de debate da reforma trabalhista, que será votada hoje em primeiro turno. A verdade é que o governo sabe que cada dia que passa menor a chance de aprovação. Por isso quer - com o apoio do presidente do Senado, Eunício Oliveira - aprovar a reforma que vai rasgar a CLT na correria, sem um debate sério das questões que afetam todos os trabalhadores brasileiros. Por isso esse protesto. A sessão está suspensa e as luzes foram desligadas por ordem do presidente da Casa.

Senado às escuras por ordem do presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE)
Senado às escuras por ordem do presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE)


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 ProximoUltimo