Visitantes online : 1570 sexta-feira, 20 de janeiro de 2017
11/01/2017 15:11
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


Pezão imita seu mentor, Sérgio Cabral em tudo, até na mentira patológica. Questionado por jornalistas sobre a venda da CEDAE (empresa estadual de água e esgoto), o governador não teve coragem de falar a verdade: "Estamos vendo". Ora, todo mundo sabe que Pezão está oferecendo a CEDAE ao governo federal, que por sua vez concorda, só falta discutir questões técnico-burocráticas.

Mas é bom lembrar que não basta Pezão e o governo federal concordarem. Para a CEDAE ser federalizada para ser vendida é obrigatória a aprovação pela ALERJ. E claro, para Pezão conseguir o voto da maioria dos deputados, vai ser na base do "toma lá, dá cá". E tem uma turma na ALERJ que não vender barato o voto.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


11/01/2017 13:59
Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja


Eduardo Paes está avisando jornalistas que no meio do ano começará sua pré-campanha ao Governo do Estado. Até lá ainda deverá estar no PMDB, mas antes do final do ano deve pular fora, afinal ninguém, seja ele ou qualquer outro, tem chance no partido que representa a roubalheira que quebrou o nosso estado. Aliás, seria melhor se preocupar antes com a Lava Jato e não fazer muitos planos a longo prazo. E recomenda-se que passe longe de Maricá onde a população o tem atravessado na garganta desde que disse que a cidade "é uma merda de lugar".


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


11/01/2017 12:03
Soluções para a crise do Rio, o fundo de Brasília e a federalização da segurança
Avenida Presidente Vargas nos anos 1960, quando o Rio deixou de ser capital; abaixo servidores estaduais protestando na frente do Palácio Guanabara
Avenida Presidente Vargas nos anos 1960, quando o Rio deixou de ser capital; abaixo servidores estaduais protestando na frente do Palácio Guanabara

Há alguma coisa ainda não revelada no acordo entre Pezão e o governo federal para equacionar o problema da falência do Estado. Os números apresentados não combinam com as declarações dadas até agora. Ontem, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que "o Rio ficará com suas finanças equilibradas e o seu déficit estará equacionado para os próximos anos."Palavras bonitas. Mas vamos aos números.

O Estado está ficando livre de pagar a dívida com a União pelos próximos três anos. O valor desta medida é uma economia de R$14 bilhões para os cofres estaduais nesse período. Ótimo, só que o déficit do Estado para este ano é superior a R$15 bilhões.

O governo estadual também diz que vai reduzir o salário dos servidores públicos. Até onde sei, a Constituição Federal veda redução de salário. A outra medida é o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14% que já foi enviada à Assembléia Legislativa e rejeitada pelos deputados, que devolveram o projeto a Pezão.

O acordo prevê que o Tesouro Nacional dará garantias ao governo estadual para empréstimos destinados a um programa de demissão voluntária. Ocorre que não existem funcionários sobrando nas áreas estratégicas do Estado. A pergunta é: demitir quem? Minha afirmação encontra respaldo na realidade que hoje se vê nas unidades do Estado: mais funcionários terceirizados, vinculados a empresas que estão há meses sem receber do que funcionários públicos de carreira. Para demitir terceirizados o Estado não precisa de aval da União, só necessita pagar o que deve às empresas.

Outra medida anunciada é a federalização da CEDAE, que seria entregue ao governo federal para ser vendida por ele a fim de recuperar parte do dinheiro que o Estado está deixando de pagar.

Ou as notícias publicadas até agora estão erradas, ou são inconstitucionais, ilegais, insuficientes, ou estão escondendo alguma coisa da população e dos servidores. A maioria dos pontos anunciados até agora esbarra na Lei de Responsabilidade Fiscal, na CLT e em outras legislações consolidadas no país.

Existem medidas mais simples, legais, isonômicas, que ajudariam a resolver rapidamente os problemas do Rio sem criar constrangimentos à lei. Uma delas seria dar ao Rio o tratamento previsto quando da transferência da capital para Brasília. Elaborei um trabalho sobre isso e é tão extenso que tratarei numa outra oportunidade. Mas somente uma medida aliviaria muito o caixa do Estado. Ao invés de federalizar a CEDAE, por que o Estado não propõe a federalização da segurança pública? Há muitos anos quem paga o salário dos policiais militares e civis e dos bombeiros do Distrito Federal é o governo federal.

Fica no ar uma pergunta. Em 1960 a capital do Brasil foi transferida para o Planalto Central. Hoje, Brasília desfruta de uma situação invejável. Toda a Justiça e o Ministério Público são pagos pela União. Além disso, o ex-presidente Fernando Henrique constitucionalizou, em 2002, o FCDF (Fundo Constitucional do Distrito Federal), que só este ano vai repassar R$12,8 bilhões de recursos de todos os brasileiros para os brasilienses.

Além do mais, a indefinição quanto à personalidade jurídica de Brasília, se é estado ou município, faz com que receba todos os impostos e taxas que o Estado tem direito: ICMS, IPVA, entre outros e todos os que os municípios tem direito: IPTU, ISS, ITBI, entre outros. Com o detalhe que não precisa dividir os impostos e taxas recolhidas com ninguém, porque não possui municípios para repartir os impostos. Essa situação gerou uma anomalia fiscal e federativa que precisa ser corrigida.

Com todo o seu Judiciário bancado pela União, mais aproximadamente R$13 bilhões do fundo constitucional por ano, corrigido pela receita líquida real, sem precisar dividir os impostos que arrecada com nenhum outro ente, já que é ao mesmo tempo estado e município, como disse. Hoje a renda per capita de um morador do Plano Piloto de Brasília é duas vezes superior ao da Suécia ou qualquer país europeu.

Uma pergunta se faz impositiva: por que não oferecer tratamento igualitário a quem recebeu a nova capital e quem perdeu todos os benefícios de ser uma capital?

Certa vez, quando negociava a dívida do Estado com a União, tive que me deslocar de helicóptero com o então presidente FHC para um evento. Assim que decolamos e atingimos uma certa altura, abri a cortina da janela do helicóptero e pedi que ele desse uma olhadinha para baixo. Ele me perguntou se havia algum problema. Eu respondi: "Problema não, uma solução. Tá vendo isso tudo embaixo, ministérios, Congresso, grandes hotéis, Supremo, isso tudo foi tirado do Rio sem nenhuma compensação. Seja mais generoso conosco, presidente". E ele foi.

Mesmo contrariando a vontade de alguns tecnocratas, entre eles Joaquim Levy, o Rio renegociou sua dívida sem precisar privatizar a CEDAE ou qualquer empresa, fez um imenso volume de obras sem necessitar fazer endividamento, e contratou mais de 70 mil servidores públicos por concurso ao longo de 8 anos.

Solução para a crise do Rio existe, mas além da transparência necessária, é preciso criatividade, generosidade e uma garantia de que o dinheiro será usado em favor da população e não na formação de patrimônios pessoais, como vem ocorrendo nos últimos anos.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [1] | |




11/01/2017 08:50
Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online


Cada um tem o amigo Paulinho que merece. Para quem não lembra o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa que entregou o esquema do Petrolão era chamado por Lula de "amigo Paulinho". Agora foi a vez de outro "amigo Paulinho", Paulo Magalhães Pinto, entregar Sérgio Cabral para ganhar direito a prisão domiciliar. E outro amigo, só que de Pezão, o popular Braguinha, Hudson Braga, está negociando a delação premiada. De onde se conclui que as amizades não resistem à prisão.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |


10/01/2017 17:36
Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo
Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo


Se as forças-tarefas da Lava Jato e da Calicute resolverem ir fundo vão encontrar dezenas de esquemas de corrupção dos governos Cabral - Pezão, como vocês que acompanham o blog sabem. Mas não custa lembrar que os contratos de fornecimento de alimentação para a rede estadual de saúde foram acertados pelo grande amigo e companheiro de farras da Gangue dos Guardanapos, Sérgio Côrtes. Mas adianto que esse esquema de Côrtes é fichinha perto dos contratos de terceirização e compra de remédios e insumos para a secretaria estadual de Saúde.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [4] | |


10/01/2017 16:28
Nota da coluna Extra, Extra!; ao lado deputado Bruno Dauaire
Nota da coluna Extra, Extra!; ao lado deputado Bruno Dauaire


Parabenizo a iniciativa do líder do PR na ALERJ, Bruno Dauaire, de recorrer ao MP Estadual para pedir investigação sobre o uso dos recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza pelo governo Pezão. Se em outubro havia R$ 168 milhões no fundo por que Pezão não pagou os fornecedores dos restaurantes e deixou que fechassem? Isso é muito grave e precisa ser investigado. Essa caixa-preta necessita ser aberta. Vamos torcer para que o MP Estadual não arquive o pedido de abertura de inquérito.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


10/01/2017 15:13
Reprodução da Folha da S. Paulo
Reprodução da Folha da S. Paulo


Dirigentes petistas dizem que Lula já se convenceu que o melhor é ele assumir a presidência do partido em fevereiro. Querem também lançar logo o nome de Lula como pré-candidato à Presidência da República. É inegável que as pesquisas eleitorais recentes mostram Lula liderando no 1º turno. Mas no meio do caminho tem a Lava Jato. Aí é um fator imponderável. Petistas admitem que Lula será condenado por Sérgio Moro, mas isso não o colocaria como Ficha Suja, só com uma decisão colegiada em segunda instância. Como essa hipótese pode ocorrer, o PT joga sua esperança num eventual recurso ao STF alegando "vícios do processo". Se vai colar ninguém sabe, mas sonhar não custa nada.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


10/01/2017 13:48
Reprodução do Estadão
Reprodução do Estadão


Por um lado tem a licitação de R$ 208 milhões para gastos com publicidade este ano, isso só da Presidência da República, com ênfase na internet e redes sociais. Por outro, Temer quer lançar programas de alcance social ainda no primeiro semestre para atingir os brasileiros mais humildes. Para os marqueteiros do Palácio do Planalto com essas duas frentes, além, claro, da melhora da economia, a reprovação de Temer vai diminuir e sua imagem melhorar. Como já disse aqui outras vezes, não ha perspectiva da economia melhorar no primeiro semestre e com isso não serão lançamentos de programas sociais ou propaganda na mídia e na internet que vão melhorar a imagem do presidente, que tende a piorar ainda mais.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |


10/01/2017 12:35
Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder


Acostumado com o poder de presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) não quer se transformar, a partir de 1º de fevereiro quando será eleito seu sucessor na Casa, em apenas mais um dos 81 senadores. Renan quer mais poder. A sua preferência, é claro, seria por um cargo de ministro no governo Temer. O problema é que responde 12 inquéritos criminais que correm no STF, sendo oito relativos à Lava Jato. Com esse potencial explosivo, Temer não vai dar um ministério da Renan. Por isso a alternativa de virar líder do PMDB no Senado é o que lhe resta como prêmio de consolação para poder continuar participando das reuniões de líderes com o governo. Isso enquanto a Lava Jato deixar.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [1] | |




10/01/2017 09:00
No meio do lamaçal de Cabral surge Beltrame, o braço armado de sua quadrilha
Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online


Outra revelação importante feita por meio do blog, depois divulgada em nosso programa Encontro Marcado, no Facebook, agora é divulgada pelos investigadores da Operação Calicute. Já havíamos dito que o verdadeiro dono da lancha Manhatan, avaliada em R$ 5,3 milhões era Sérgio Cabral, o que foi confirmado pelo seu ex-laranja Paulo Magalhães Pinto na delação que está fazendo para se livrar de um longo período na cadeia.

Outro fato importante que revelamos há alguns anos sobre Paulo Magalhães Pinto é que o seu apartamento na Rua Redentor, em Ipanema, na Zona Sul do Rio era ocupado pelo senhor José Mariano Beltrame. Em certa ocasião interroguei o então secretário Beltrame na Comissão de Segurança da Câmara sobre quem pagava seu aluguel naquela área nobre da cidade do Rio de Janeiro, já que era impossível alguém com o salário de secretário de Estado manter o padrão de vida que ele mantinha. Diante de uma platéia de dezenas de deputados primeiro hesitou e depois respondeu rapidamente. Vejam abaixo.




Na verdade a família de Beltrame nunca pagou aluguel algum e morava de favor no apartamento do laranja de Cabral como mostram as fotos exibidas primeiramente em nosso blog e depois constantes na denúncia que fiz à Procuradoria Geral da República, agora reproduzidas em jornais e revistas importantes, a família de Beltrame usava a lancha Manhatan para passeios na baía da Ilha Grande. Vocês devem se lembrar que aqui mesmo neste blog disse que Beltrame era o responsável pela inteligência do grupo liderado por Sérgio Cabral. Ele que garantiu a impunidade desse grupo durante tanto tempo. Como homem do setor de Inteligência da Polícia Federal, Beltrame sabia de tudo o que se passava no governo, e sabia tanto que pouco antes da Operação Calicute ser deflagrada pediu para deixar o governo. Incentivado por setores da sociedade favoráveis à manutenção da convivência entre drogas e armas, desde que sem conflitos entre as facções criminosas, José Mariano Beltrame foi responsável por uma das maiores farsas da história da segurança pública do Rio. Vejam nas imagens abaixo o que ocorreu há poucos finais de semana no morro do Turano, na Zona Norte do Rio de Janeiro, que tem uma UPP.




Enquanto a bandidagem altamente armada aterrorizou o Rio de Janeiro e expandiu seus domínios para cidades do estado até então pacatas, Beltrame usufruía com sua família das mordomias que os corruptos da quadrilha de Sérgio Cabral lhe proporcionavam.


Maurício e Mariana Beltrame, os filhos do ex-secretário de Segurança passeando na lancha Manhatan, de Sérgio Cabral
Maurício e Mariana Beltrame, os filhos do ex-secretário de Segurança passeando na lancha Manhatan, de Sérgio Cabral


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


09/01/2017 17:27
Reprodução do Globo
Reprodução do Globo


Na prestação de contas que Eduardo Paes fez à imprensa a rede municipal de saúde estava uma maravilha e nas propagandas da prefeitura era coisa de primeiro mundo, mas a realidade é bem diferente. Agora que Paes saiu é que a imprensa começa a mostrar a verdade. Os pacientes que procuram as Clínicas da Família ou os hospitais municipais chegam a esperar um ano para fazer cirurgias, até mesmo um simples exame de vista. A situação é ainda mais dramática porque se sabe que a rede estadual está desmantelada, e os hospitais federais também deixam muito a desejar. Está um desafio para o novo prefeito Marcelo Crivella.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [1] | |


09/01/2017 16:16
Reprodução do G1
Reprodução do G1


Bem, nem vou me dar ao trabalho de comentar essa postagem do deputado Major Olímpio (SD-SP) estimulando mais chacinas nos presídios, é fruto daquele pensamento de que os presos se matando uns aos outros a situação vai melhorar.

O que quero chamar a atenção é que muito está se discutindo a construção de novos presídios, a realização de um censo penitenciário, mas o principal problema da guerra de facções criminosas, está fora dos muros das prisões. Essa guerra decorre da disputa comercial da venda de drogas, principalmente cocaína, maconha e crack.

Se não se melhorar a vigilância das fronteiras com nossos vizinhos e não se combater os atacadistas de droga qeu atuam internamente não vai se chegar a lugar nenhum. É ilusão acreditar que prender o "chefe" de uma comunidade vai alterar alguma coisa na estrutura do tráfico. Peguem o exemplo do Estado do Rio de Janeiro. Quantos traficantes atacadistas foram presos nos últimos anos? Até mesmo os "chefes" das principais comunidades ficaram impunes, graças à política de José Mariano Beltrame de não prender os traficantes, apenas fazendo com que mudassem de endereço, avisando inclusive o dia das operações policiais.

É urgente uma política integrada da segurança pública envolvendo os órgãos federais e estaduais. O que está sendo feito hoje marketing de um lado e enxugar gelo do outro. A questão dos presídios, claro, tem que ser enfrentada, mas está longe de ser o problema central.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |


09/01/2017 15:09
Reprodução do Globo
Reprodução do Globo


Toda a negociação de Pezão com o governo federal é no sentido de conseguir se livrar do máximo de contrapartidas que puder para ter dinheiro para gastar. E a gente sabe que é para gastar mal, pagando os empresários amigos ou fazendo novas negociatas. Não há um plano efetivo para sanear as finanças estaduais. Aliás, como disse hoje no meu programa Encontro Marcado, no Facebook, existe saída para o Rio de Janeiro. O problema é que Pezão não quer tomara as medidas necessárias, além de não ter visão, nem competência para enfrentar a crise, sem contar que está cercado por equipe muito fraca. Mas depois vou lhes mostrar os caminhos para resolver a crise estadual.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles não quis adiantar as contrapartidas que serão exigidas do Estado do Rio para receber ajuda federal, mas uma delas já se sabe, é entregar o controle da CEDAE ao governo federal para incluir a empresa no programa de privatizações. É bom o pessoal da CEDAE ficar alerta.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [7] | |


09/01/2017 13:46
Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder


Impressiona a confiança de Eduardo Cunha sobre o julgamento do seu pedido de habeas corpus no STF, marcado para o dia 8 de fevereiro. Cunha acredita que os recados que tem mandado - via Cláudia Cruz - ao Palácio do Planalto de que se o habeas corpus não sair vai negociar a delação premiada farão Michel Temer e seus assessores mais próximos pressionar ministros do Supremo. O fato é que no Palácio do Planalto a torcida é grande pelo habeas corpus para Cunha.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |


09/01/2017 12:34
Reprodução da Folha de S. Paulo
Reprodução da Folha de S. Paulo


A única novidade nessa reportagem é o número de vezes (13) que Cabral e Adriana Ancelmo utilizaram os jatinhos de Eike Batista. Sempre se soube que Cabral usava os jatinhos de Eike. Mas me impressiona que continua sem ser aberta a "caixa-preta" dos voos internacionais de Cabral. Continuam sem resposta algumas perguntas fundamentais que eu fiz em ofícios endereçados ao Ministério da Justiça, à Polícia Federal e à Infraero.

Quais os destinos de todos os voos internacionais de Cabral?

A quem pertencem as aeronaves particulares usadas por Cabral nessas viagens?

Quais foram os acompanhantes de Cabral nessas viagens?

É elementar que agora com Cabral preso, essas informações não são divulgadas porque querem proteger gente poderosa.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |




09/01/2017 08:39
Há 5 anos, Garotinho denunciava na Câmara a corrupção de Cabral e desafiava os deputados do PMDB


Ontem quando postei o vídeo de uma entrevista que concedi ao jornal O Dia em 2013, denunciando a corrupção do governo Cabral, alguns leitores questionaram com a seguinte afirmação: "Ah, mas agora é mole falar do Cabral". Então voltarei um pouquinho mais no tempo e neste Papo do Blog de hoje quero que vocês vejam e ouçam o que disse na tribuna da Câmara dos Deputados em 2011, onde tratei das maracutaias de Adriana Ancelmo, Sérgio Côrtes, lei dos precatórios, escândalo Toesa, entre outros, e termino com um desafio: "Será que nenhum deputado do PMDB do Rio vai vir aqui no plenário desmentir o que eu estou falando e defender o seu governador Sérgio Cabral? Como era de se esperar nenhum deputado apareceu."

Já naquela época todos os deputados sabiam o que Cabral fazia, mas haviam três tipos de comportamento: os que viraram sócios da safadeza, os que preferiram se omitir por não ter coragem de enfrentar a blindagem do ex-governador ou os que eram chamados de "loucos", como eu. Vale a pena ver e ouvir o vídeo e perceber que os Ministérios Públicos Federal e Estadual, a Polícia Federal, o sistema de fiscalização não só levou muito tempo para atuar contra Cabral e sua quadrilha, mas em alguns casos chegou mesmo a protegê-lo.


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


08/01/2017 14:34


No ano de 2013 quando as pessoas ainda tinham ilusão com Sérgio Cabral eu já denunciava o mar de lama e dizia"Cabral sabe o que fez e tem certeza que vai ser preso."

Reveja essa entrevista. Vale a pena saber que nem todos fizeram o jogo dessa quadrilha que faliu o Rio de Janeiro.




 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [6] | |


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 ProximoUltimo

Facebook


Twitter


Vídeos

Busca
Histórico
Links
Todos os Direitos Reservado
Fotos Anthony Garotinho