Reprodução do Facebook
Reprodução do Facebook



Para escapar da revolta dos servidores estaduais, a ALERJ devolveu a Pezão o pacote de maldades que seria votado na próxima terça-feira. Ficou para fevereiro, depois do recesso. Picciani sabia que com a divulgação do calendário do pagamento do salário de novembro parcelado em nove vezes o protesto dos servidores seria com os ânimos extremamente exaltados. Mas o MUSPE (Movimento Unificado dos Servidores Estaduais) manteve a convocação para o protesto de terça-feira. Dezenas de milhares de servidores e aposentados vão receber até o Natal apenas a miséria de R$ 370.

Infelizmente se confirmou tudo o que anunciei em janeiro deste ano aqui no blog, que Pezão não teria dinheiro para pagar os servidores até o final do ano. Eu mostrei números da dívida e expus todos os equívocos que foram sendo cometidos, mês após mês, por Pezão e Dornelles. A imprensa fingiu que não sabia e o movimento dos servidores, na minha modesta opinião, demorou a acordar para a gravidade da situação, se deixou levar pela conversa fiada de Pezão e Dornelles, achando que havia solução.