O projeto de recuperação fiscal dos estados deve ser enviado hoje pelo Palácio do Planalto ao Congresso. Mas a Câmara dos Deputados já está em ritmo de carnaval desde ontem, só retorna ao trabalho no dia 7 de março. O projeto terá que ser votado na Câmara e depois segue para o Senado. Portanto antes do final de março essa questão não estará resolvida. Depois terá que haver a homologação do acordo da dívida no STF e, segundo técnicos, o empréstimo de R$ 3,5 bilhões ainda demorará uns 30 dias para ser liberado pelos bancos. Ou seja, o dinheiro só deve chegar no final de abril.

Pezão declarou ontem que depois do carnaval pretende procurar novamente o ministro do STF, Luiz Fux para pedir uma liminar que libere o empréstimo mesmo sem o acordo e sem a alteração da Lei de Responsabilidade Fiscal. Pezão, na prática, quer que Fux ignore a legislação. Está na cara que isso não vai acontecer.

Enquanto isso os salários de janeiro de boa parte dos servidores estaduais só terminará de ser pago no dia 23 de março, portanto no próximo mês vai atrasar o pagamento do pessoal da segurança que vinha recebendo no 10º dia útil. A situação só faz se agravar. E ainda podem ocorrer novos bloqueios das contas estaduais.

Por mais que Temer não queira decretar a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro essa alternativa é cada vez mais inevitável, só não vê quem não quer.