Reprodução do blog de Lauro Jardim
Reprodução do blog de Lauro Jardim

O julgamento da chapa Dilma - Temer no TSE deverá acontecer ainda no primeiro semestre deste ano. E por todas as provas colhidas e conhecidas, somando-se agora ao processo a delação da Odebrecht, salta aos olhos que, juridicamente, a perspectiva é a cassação da chapa. Por saber disso a defesa de Temer tenta que as contas eleitorais dele e de Dilma sejam julgadas separadamente. Mas a tese não está prosperando. Seria, como diz o ministro-relator, Herman Benjamin, um "casuísmo, um "descalabro". Com isso o Palácio do Planalto sabe que a guilhotina está sobre a cabeça de Temer. Se a lâmina vai descer ou não só os ministros do TSE é que podem decidir. Por isso imagino as pressões políticas. Temer está ansioso pelo segundo semestre, quando a expectativa é de notícias promissoras na economia, resta saber se sobreviverá ao primeiro semestre, a se confirmar o julgamento no TSE nesse período.