Minha posição política, marcada pela defesa dos trabalhadores, do nacionalismo e das causas populares tem me custado muito caro e à minha família, mas em compensação tem nos diferenciado, apesar das perseguições da maioria dos políticos brasileiros. Como é de conhecimento público tenho mais de 30 anos de vida pública. Já fui governador, três vezes secretário de Estado, duas vezes prefeito, deputado estadual e federal. Sempre combati grupos e interesses poderosos, como a máfia dos ônibus do Rio, a máfia das fraudes da loteria em Brasília, a quadrilha da CBF, liderada por Ricardo Teixeira que afundou o futebol brasileiro, os enormes interesses dos bancos que seqüestraram nosso país, deixando a nação refém do pagamento dos juros absurdos, o forte lobby dos grupos de mídia que fazem o jogo dos interesses internacionais e dos políticos sujos, e tenho denunciado também há aproximadamente 10 anos a quadrilha de Sérgio Cabral que faliu o Rio e outros grupos de políticos, envolvidos pelo país a fora em esquemas de desvio de dinheiro.

Sempre tentaram me desmoralizar com denúncias estampadas em jornais e revistas ou em manchetes nas principais TVs do país. Tive e tenho que enfrentar isso sempre que se aproxima uma campanha eleitoral. Esse é o jogo sujo que fazem os interesses contrários a quem defende o povo. Agora pensem comigo. Saí do governo para me candidatar a presidente da República no final de março de 2002, e voltei a ter foro privilegiado somente em janeiro de 2010. Foram 8 anos em que minha vida foi revirada de cabeça para baixo, sem que nada fosse encontrado para me incriminar. Cabral ficou alguns meses sem foro privilegiado, e já responde por mais de 600 crimes de lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito, ocultação de patrimônio e outras barbaridades. Imaginem se eu tivesse uma conta no exterior. Pensem o que teriam feito comigo se eu tivesse adquirido alguma mansão no Brasil ou no exterior. O que teriam dito de mim se eu tivesse adquirido um iate de mais de R$ 5 milhões ou comprado mais de R$ 7 milhões em joias para presentear a minha esposa?

Infelizmente muitas pessoas acreditam em tudo o que lêem, sem questionar se a fonte é verdadeira ou não. Imaginem onde eu estaria se tivesse adquirido enormes fazendas ou então negociado embriões por mais de R$1 milhão.

As acusações que fazem contra mim, falsas, são sempre as mesmas: “Ah, é um populista”. Outras vezes dizem que misturo política com religião, como ocorre agora, tentam me acusar daquilo que sempre combati, compra de votos através de um programa social.

Peguei um Estado falido e corrompido das mãos do ex-governador Marcello Alencar. Renegociei a dívida com a União, fiz um calendário de pagamento para o funcionalismo e mantive em dia, construí obras importantes em todos os setores do estado, em todas as cidades, e mantenho minha consciência tranqüila e minhas mãos limpas. Isso não é fácil nos dias de hoje, principalmente enquanto o Brasil permitir que juízes, desembargadores e promotores ganhem acima de um ministro do STF, e tenham como pena máxima, no caso dos juízes quando cometem um crime, aposentadoria com salário integral.

De que me acusam então? Afinal que mal fiz ao povo ao criar os Restaurantes e as Farmácias Populares, fechados pelo atual governo, ao tirar crianças do trabalho infantil, ao construir milhares de quilômetros em estradas e pontes pelo interior do estado, ao implantar café da manhã nas estações de trem para os trabalhador, ao salvar a Marina da Glória, fazendo o esgoto do Centro do Rio, ou da Lagoa Rodrigo de Freitas onde a mortandade de peixes era constante, ou por ter dados casas a 28 mil famílias que moravam em invasões de terra ou debaixo de viadutos?

Neste momento vai viver o lamaçal das denúncias, grande parte delas verdadeiras, é preciso separar o joio do trigo, afinal só interessa aos políticos corruptos a idéia de que todos são iguais.

Em tempo: Hoje à tarde postarei aqui no blog detalhes da minha volta ao microfone da Super Rádio Tupi, ainda no mês de março.