Jorge Picciani sendo levado coercitivamente pela Polícia Federal (Foto: Wilton Junior/Estadão)
Jorge Picciani sendo levado coercitivamente pela Polícia Federal (Foto: Wilton Junior/Estadão)

Aos poucos os bastidores podres da política do Rio de Janeiro, denunciados pelo nosso blog há 10 anos. estão vindo ao conhecimento da população. Embora já tenhamos boa parte dos personagens que participaram daquela que ficará conhecida com a "Era do Ouro do Rio de Janeiro", porque o Estado foi transformado numa verdadeira Serra Pelada, onde os "garimpeiros" do PMDB, liderados por Cabral e Picciani enriqueceram às custas das finanças públicas, falta muito até o desmonte completo desta máquina de corrupção.

Simbolicamente a prisão de Cabral representa muito, mas na prática a corrupção continuou após ir para Bangu 8, pois o esquema se entranhou de tal maneira no Estado, como já mostramos outras vezes, que não restava um setor que estivesse livre dos tentáculos dos "garimpeiros" do PMDB atrás do ouro das propinas. Nas obras o "garimpeiro-mor" era o vice-governador Pezão, auxiliado por figuras menores, como Braguinha, seu velho "homem da mala". Nos Transportes o sempre sorridente Julio Lopes continua solto, embora seus braços operacionais já estejam presos pelas fraudes cometidas no metrô, no Bilhete Único e outras áreas. Adriana Ancelmo, "a melhor advogada do Brasil", a "riqueza" do governador foi presa por seus contratos vergonhosos com concessionárias do Estado.

Mas por que Regis Fichtner continua solto se ele fez tanto ou mais do que eles? Avestruz, Bezerra, Aryzinho, apanhadores de dinheiro para Cabral estão presos. Mas por que conhecidos e famosos operadores de propina para Cabral continuam circulando livremente por suas casas principais, o Palácio Guanabara e a Assembleia Legisltativa.

Chamo a atenção para um fato. Nos últimos 28 anos só três pessoas ocuparam a presidência da ALERJ, Sérgio Cabral, Jorge Picciani e Paulo Melo. Só Stalin ficou tanto tempo no poder. A corrupção no Rio se espalhou por muitos poderes. Ela foi parcialmente atacada no Executivo, minimamente no Legislativo, e agora no Tribunal de Contas. Mas faltam outros poderosos e conhecidos corruptos do Rio que estão infiltrados em outros setores, e se sentem intocáveis e inatingíveis. Mas a hora deles há de chegar.

Para que o Rio seja limpo dessa praga chamada PMDB e seus aliados, estamos com um bom começo, mas história não pode parar por aí. Durante o dia vamos trazer informações relevantes de novos capítulos dessa história que tem sido denunciada por nosso blog há 10 anos.