Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Estamos todos curiosos em saber quem é o "poderoso desembargador do Rio de Janeiro". O fato é que esta semana dois fatos concretos abalaram muita gente poderosa de outros poderes estaduais. O primeiro foi a prisão de cinco conselheiros e um ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Aliás, ontem, o ministro Felix Fischer, do STJ, prorrogou por mais 5 dias a prisão temporária dos presos da Operação "O quinto de ouro", que venceria hoje. Outro fato é a citada negociação da delação premiada de Sérgio Cabral, que incluiria 97 nomes de juízes, desembargadores e integrantes do MP Estadual. Mas como disse aqui ontem, aliás, mais uma vez, era elementar que Cabral só manteve a impunidade por tantos anos porque contou com a colaboração de alguns integrantes de outros poderes.

E já que estamos falando do Judiciário fluminense, o ministro do STF, Dias Tóffoli deve decidir na segunda-feira sobre o pedido do Tribunal de Justiça do Rio para bloquear mais de R$ 200 milhões das contas do Estado, por não ter sido repassada a verba mensal constitucional (duodécimo), dinheiro utilizado para o pagamento dos salários de magistrados e serventuários.