Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

Ainda não foi desta vez. Ontem não houve acordo entre as bancadas e por isso a votação do projeto de recuperação fiscal dos estados ficou para hoje de manhã. Mas mesmo que seja aprovada existe um problema adicional no caso do Rio de Janeiro. O projeto prevê o aumento da alíquota de Previdência de 11 para 14 por cento. Ou seja, mesmo que a Câmara e depois o Senado aprovem o projeto, a ALERJ ainda terá que votar o aumento da contribuição previdenciária dos servidores, que o presidente da Casa, Jorge Picciani já disse que só colocará em votação se os salários forem colocados em dia. Acontece que na atual conjuntura, nem com o empréstimo de R$ 3,5 bilhões dá para acertar o pagamento dos servidores. Aliás, Pezão ontem ficou no plenário negociando com os deputados. Um parlamentar lembrou bem, que na atual situação que o governador do Rio vive, completamente desmoralizado, sua presença atrapalha mais do ajuda.