Para entender o que está acontecendo em Campos, vamos publicar, a partir de hoje, uma série de informações importantes que, se colocadas todas de uma vez, dificultariam o entendimento por pessoas que não são da cidade, já que o maior interesse desse caso é a tentativa de me tornar inelegível e a desmoralização do meu grupo político em todo estado.

Portanto, para a melhor compreensão de todas as pessoas, de todos os fatos ocorridos até agora, incluindo depoimentos arrancados sob tortura, mentiras, pessoas que foram transformadas de acusadas em testemunhas de acusação, e uma imensa quantidade de irregularidades praticadas por juízes, promotores e delegados federais, peço que as informações passadas diariamente sejam postados nos perfis do Facebook e divulgadas como faremos a partir de hoje, por capítulos.

É importante que todos saibam que o delegado da Polícia Federal, o juiz e o promotor são os mesmos que a prefeita Rosinha enfrentou quando da suspensão do atendimento aos pacientes do SUS pela Santa Casa de Misericórdia de Campos.

O caso se deu da seguinte maneira:

O mesmo promotor Leandro Manhães do caso CHEQUE CIDADÃO pediu a intervenção no hospital.

O mesmo juiz Ralph Manhães decretou a intervenção e escolheu como interventor o pai do mesmo delegado para comandar a Santa Casa.

O pai se chama Paulo Cassiano.

Tentaram arrancar dinheiro com medidas judiciais ilegais dos cofres municipais e foram impedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado.

Fato de hoje:

O juiz, o delegado e o promotor são os mesmos do esquema Santa Casa, onde quem comanda é o pai do delegado, nomeado pelo juiz a pedido do promotor como interventor.

Entenderam por que era preciso me censurar?

Amanhã tem mais.