Essa declaração de Michel Temer, hoje pela manhã, que vai respeitar a decisão da Câmara "qualquer que seja o resultado da votação" é mais uma para rir. Em primeiro lugar Temer está desrespeitando a Câmara dos Deputados ao ameaçar líderes de partidos a trocarem integrantes da Comissão de Constituição e Justiça. E depois é "chover no molhado". O que restaria a Temer a não ser respeitar a decisão da Câmara. A única alternativa de não respeitar a decisão da Câmara seria fechar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, ou seja, dar um golpe de estado. Ora, como isso nem se cogita, Temer mal se aguenta em pé, logo sua declaração é mais um blá blá blá.