O PSDB está em cima do muro da hipocrisia. FHC e Tasso Jereissati, presidente interino do partido, tomam posições públicas contrárias a Temer, dizem que o governo acabou, mas não têm coragem de dizer a frase-senha: "O PSDB tem que deixar o governo Temer". Os tucanos estão como diz o ditado "acendendo uma vela para Deus e outra para o diabo". Algumas lideranças tucanas falam em permanecer para garantir as reformas. Aliás, um que vai por essa linha é Geraldo Alckmin que prefere Temer enfraquecido do que um novo presidente que dispute com chances uma reeleição em 2018. Ficam fazendo reuniões onde não decidem nada. Está ficando cada vez mais claro que não querem é perder os cargos e os quatro ministérios que têm.