Procuradores e delegado da PF da força-tarefa da Lava Jato no Rio
Procuradores e delegado da PF da força-tarefa da Lava Jato no Rio

Muita gente torceu para se ver livre do juiz Marcelo Bretas nos processos da Lava Jato no Rio. É que Bretas estava cotadíssimo para ser promovido a desembargador do Tribunal Regional Federal e nesse caso atuaria em segunda instância com os processos da Lava Jato sendo distribuídos para outro juiz. Só que Bretas abriu mão da promoção e continuou à frente da 7ª Vara Federal. Foi a primeira decepção dos amigos de Cabral e outros participaram do maior assalto aos cofres públicos da história do Rio de Janeiro.

Ontem veio nova decepção. O Ministério Público Federal prorrogou por mais seis meses a força-tarefa da Lava Jato no Rio. Isso significa que as investigações vão continuar com força total para desespero dessa turma. Aliás, hoje à tarde, a 1ª Turma do Tribunal Regional Federal do Rio julga o pedido de habeas corpus do "rei dos ônibus" Jacob Barata Filho. O resultado, a favor ou contra, influenciará outros pedidos dentro da Operação Ponto Final.