Pezão mandou o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa viajar hoje a Brasília para tentar apressar a homologação do acordo de recuperação fiscal. Cada hora Pezão anuncia uma previsão de assinatura do acordo, mas nada acontece. Vem falando nisso desde fevereiro. E como eu antecipei antes de setembro nada seria resolvido. Pelo jeito a operação de venda da CEDAE, que vai render R$ 3,5 bilhões aos cofres estaduais, se a Justiça não suspender, só será concretizada em outubro. Os servidores podem se preparar que o salário de agosto voltará a ser pago em parcelas.